Pub

O Fonte do Bastardo conquistou hoje a sua primeira Supertaça de voleibol, ao derrotar o Benfica por 3-1, no encontro disputado no Pavilhão Municipal de Santo Tirso.

A equipa açoriana perdeu o primeiro ‘set’, por 25-21, mas venceu o segundo com algum conforto pontual (25-19) e ganhou aqui a embalagem para se impor nos seguintes (25-22 e 25-19) ao campeão nacional, devido à sua consistência exibicional.

O Benfica controlou o parcial inaugural desde cedo, conseguindo uma vantagem pontual de 2-0 que depois evoluiu para 6-3 e foi sendo ampliada gradualmente.

Na primeiro vez que em Portugal foi utilizado o sistema de “vídeo challenge”, que possibilita o visionamento de imagens para clarificar decisões tomadas pela equipa de arbitragem, os ‘encarnados’ foram os primeiros a beneficiar desta nova tecnologia para conquistar um ponto (19-13).

O Fonte do Bastardo reagiu bem e venceu segundo parcial, devido a uma subida clara de rendimento, enquanto o Benfica foi uma equipa irregular e vulnerável aos ataques contrários, em especial aos ‘tiros’ desferidos por João Noleto e também por Caíque.

O conjunto açoriano começou o terceiro parcial com um serviço falhado e o Benfica conseguiu adiantar-se por breves instantes (4-3), mas rapidamente ficou para trás e já não recuperou, apesar de algumas aproximações prometedoras.

Com o resultado em 2-1 para a Fonte do Bastardo, o quarto parcial era decisivo para as aspirações do Benfica, mas a equipa lisboeta acumulou erros e não mostrou armas para travar o adversário.

O distribuidor ‘encarnado’ Tiago Violas falhou um serviço com o resultado em 1-0 para sua equipa e esse foi um presságio do que se iria seguir, com o Fonte do Bastardo dominador e um Benfica descrente e sem chama.

Os açorianos, com um plantel com oito caras novas e um treinador também novo, Nuno Abrantes, passaram para a frente do marcador, manteve-se, depois, seguros na rede, onde travaram vários remates benfiquistas, e fortes nas suas ações ofensivas.

Neste quarto ‘set’, o Benfica, que apostou na continuidade para esta época, tendo-se reforçado com um único jogador, ainda conseguiu empatar (19-19), mas a sua reação foi sol de pouca dura e o adversário reagiu bem, somou cinco pontos consecutivos e ficou com uma mão firme num troféu que lhe faltava.

O capitão Caíque fechou o jogo para a sua equipa (3-1) com mais um remate potente e cruzado, selando, deste modo, a conquista da Supertaça de voleibol.

Jogo no Pavilhão Municipal de Santo Tirso.

Benfica – Fonte do Bastardo, 1-3.

Parciais: 25-21, 19-25, 22-25 e 19-25.

Com arbitragem de Ricardo Ferreira e Nuno Maia, as equipas alinharam:

– Benfica: André Lopes, Peter Wohlfahrtstatter, Hugo Gaspar, Tiago Violas, Pablo Machado, Lucas Santos e Ivo Casas (líbero). Jogaram ainda Thales Falcão, Bernardo Westertermann, Aaro Nikula e Raphael Oliveira.

Treinador: Marcel Matz.

– Fonte do Bastardo: Marcos Pereira, José Neves, Bruno Rubbo, João Noleto, Caíque Silva, Edson Valência e Dennis Villalobos (líbero). Jogaram ainda Alejandro Lahoz e Federico Gómez.

Treinador: Nuno Abrantes.

Assistência: cerca de 400 espetadores

Pub