Pub

O Diretor Regional da Ciência e Tecnologia destacou hoje, em Ponta Delgada, a importância do projeto internacional ‘Urban-Waste’ enquanto “ferramenta para encontrar metodologias e processos capazes de responder da melhor maneira possível ao expectável aumento de resíduos” na cidade de Ponta Delgada.

Bruno Pacheco salientou que o Fundo Regional para a Ciência e Tecnologia assume, neste projeto, “um papel de facilitador, potenciando a captação de fundos de programas” europeus para os Açores, nomeadamente do Horizonte 2020, que permite o financiamento do ‘Urban-Waste’ em 100 mil euros.

O Diretor Regional, que falava na cerimónia de assinatura do acordo de compromisso do ‘Urban-Waste – Urban strategies for waste management in tourist cities’, frisou que este projeto “é mais uma prova de que o financiamento da Ciência pode ser orientado para a resolução de desafios do nosso dia-a-dia”.

Neste sentido, Bruno Pacheco salientou que o Fundo Regional para a Ciência e Tecnologia pretende constituir-se como “plataforma para potenciar a utilização de determinado tipo de oportunidades de financiamento”.

O ‘Urban-Waste’ é um projeto europeu que visa apresentar propostas aos decisores políticos para a elaboração de políticas ‘eco-inovadoras’ e para o desenvolvimento de estratégias que respondam aos desafios colocados pelo turismo no que diz respeito à gestão e produção de resíduos urbanos.

Este projeto, que reúne 28 parceiros e 11 cidades-piloto com o propósito de avaliar e definir estratégias urbanas de redução de resíduos em cidades com pressões turísticas elevadas, está a ser implementado na cidade de Ponta Delgada pela Câmara Municipal, em parceria com o Fundo Regional para a Ciência e Tecnologia.

Na sua intervenção nesta cerimónia, o Diretor Regional frisou que o “Governo dos Açores, ciente dos grandes desafios que o rápido incremento dos fluxos turísticos comporta, decidiu através dos seus diversos departamentos e serviços, promover reflexões e estratégias capazes de assegurar que o aproveitamento do turismo se faz de uma maneira sustentável e geradora de riqueza para as populações açorianas, de uma maneira justa e equitativa e respeitando a Natureza”.

“Todas as áreas estão convocadas a contribuir para que este novo impulso económico proveniente do turismo seja ambientalmente sustentável e socialmente justo”, defendeu.

Bruno Pacheco desafiou as entidades presentes na cerimónia a “abraçarem novos projetos, quer seja na área do turismo, da gestão de resíduos ou da biodiversidade”, criando condições para que o tecido socioeconómico encare o Fundo Regional para a Ciência e Tecnologia como “uma plataforma para a resolução de problemas e criação de valor, envolvendo empresas e equipas de investigação e desenvolvimento”.

O Diretor Regional frisou ainda que “as enormes oportunidades que o turismo trouxe aos Açores são diretamente proporcionais aos desafios que se colocam aos decisores políticos e a todo o setor privado”.

Bruno Pacheco defendeu, por isso, que “faz todo o sentido” que a Município de Ponta Delgada tenha sido escolhido como parceiro regional neste projeto, na medida em que é o maior concelho dos Açores e “é a maior porta de entrada de turistas nos Açores, quer por via marítima, quer por via aérea”.

“Sendo, também, o maior centro urbano dos Açores, o aumento da pressão turística sente-se de maneira particularmente visível”, disse, acrescentando que “a gestão de resíduos é mais uma dimensão crítica em que importa agir, numa estreita cooperação entre as partes interessadas, sejam elas públicas ou privadas”.

“Não pode haver eficácia das políticas públicas sem aplicação concreta no terreno, nem é expectável que haja coerência na ação dos agentes económicos sem uma orientação pública consistente e responsável”, sublinhou Bruno Pacheco.

O ‘Urban-Waste’ é um projeto de tipologia ‘Research and Innovation Action’, coordenado pelo Governo das Canárias, e conta com um orçamento global superior a 4,2 milhões de euros.

O acordo assinado hoje por 14 entidades estabelece o compromisso oficial para a implementação em Ponta Delgada de três medidas estratégicas para a gestão de resíduos, nomeadamente a substituição de produtos descartáveis em hotéis, cursos de formação e consultadoria de reciclagem para estabelecimentos turísticos e ainda a tradução e disseminação das instruções de separação dos resíduos para mais línguas.

O Fundo Regional para a Ciência e Tecnologia, as direções regionais do Turismo e do Ambiente, a Câmara Municipal de Ponta Delgada, a MUSAMI – Operações Municipais do Ambiente, a ARHESP – Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal, os hotéis Marina Atlântico, Azoris Royal Garden e Talisman, a Quinta do Bom Despacho, a ANA – Aeroportos de Portugal, a Portos dos Açores, a EFTH – Escola de Formação Turística e Hoteleira e a SATA Air Açores são os parceiros deste acordo.

Ponta Delgada no centro dos pensamentos estratégicos europeus para a gestão dos resíduos sólidos urbanos

O Presidente da Câmara Municipal, José Manuel Bolieiro, congratulou-se pelo facto de Ponta Delgada estar no centro dos pensamentos estratégicos europeus no que diz respeito aos resíduos urbanos, com a assinatura da parceria público-privada que visa a implementação das medidas do projeto Urban-Waste, nesta cidade.

José Manuel Bolieiro falava precisamente na sessão em que Ponta Delgada procedeu, conjuntamente com as restantes entidades e instituições públicas e privadas, à  assinatura da referida parceria, que chegou aos Açores através do Fundo Regional para a Ciência e Tecnologia.

Ponta Delgada é uma das duas cidades portuguesas (a outra é Lisboa) a integrar o Urban-Waste, cujos grandes objetivos são desenvolver estratégias que visem reduzir a quantidade de produção de resíduos e definir estratégias urbanas com vista à gestão de resíduos em cidades turísticas.

O Presidente da Câmara saudou a “boa iniciativa” do Fundo Regional para a Ciência e Tecnologia, presidida por Bruno Pacheco, ao incluir os Açores, e em particular Ponta Delgada neste projeto, o que “nos coloca no centro da estratégia europeia que visa a gestão de resíduos em cidades turísticas”.

“Como cidadão e como Presidente de Câmara, sinto um grande orgulho ao ver Ponta Delgada entre as 11 cidades-piloto europeias envolvidas numa estratégia comum, em parceria com várias instituições privadas com um objetivo comum: resolver a questão dos resíduos urbanos. Estamos no pelotão da frente. Aliás, recordo que, a nível nacional, já conseguimos ficar entre as 25 melhores cidades portuguesas nos segmentos viver, visitar e investir” – acentuou.

José Manuel Bolieiro sublinhou que Ponta Delgada está “na boa meta. Muito já foi feito, mas muito ainda falta fazer. Assistimos a um progresso que se deve ao imenso trabalho que a Câmara Municipal tem vindo a fazer. Há tanto ainda para fazer para continuarmos a estar entre as primeiras e entre as melhores do país e da Europa”.

“Ponta Delgada é uma referência nacional, com a sua natureza genuína e sustentável. Somos uma cidade e um concelho que valoriza o que produz. Com a adesão ao Urban-Waste, estamos a dar aportações ao turismo, ao destino turístico reconhecido que somos e a mostrar a cidade acolhedora que somos” – frisou.

Defendeu a formação e a informação multilingue na restauração como fundamentais para que o turista valorize ainda mais a nossa cidade e lançou o apelo à AHRESP/Açores, também parceira neste projeto, para mostrar mais abertura neste sentido.

José Manuel Bolieiro defendeu, por outro lado, que as instalações hoteleiras de Ponta Delgada devem adquirir produtos locais e, também, passar a usar recipientes reutilizáveis.

“A Câmara Municipal, com o Fundo Regional para a Ciência e Tecnologia e a AHRESP, na parceria que estabelecemos com projeto Urban-Waste, vai descortinar uma nova forma de resolver o problema da recolha dos resíduos, sem esquecer a Cartilha Sustentável. Trabalhando juntos, conseguiremos ser ainda melhores” – acrescentou.

A participação de Ponta Delgada neste importante projeto europeu, em parceria com o Fundo Regional para a Ciência e Tecnologia, revela a grande preocupação municipal relativamente aos impactos que o turismo crescente pode trazer a um destino tão delicado como é o caso da cidade e do concelho em geral.

Ao integrar o projeto em questão, Ponta Delgada dá novos passos para arrancar com medidas preventivas que visem minimizar o impacto do turismo crescente em Ponta Delgada.

Entretanto, o Presidente da Fundação, Bruno Pacheco, saudou José Manuel Bolieiro pelo facto te ter aceite, desde a primeira hora, fazer parte deste projeto europeu que beneficia Ponta Delgada em particular e os Açores em geral.

Já o Presidente da AHRESP, Luís Duarte, apelou à Autarquia para avançar com a formação dos funcionários da restauração (o que vai acontecer, em parceria com a MUSAMI, que também faz parte do Urban-Waste), criando mais e melhores condições para receber os turistas.

Foi precisamente para promover e melhorar esta responsabilidade partilhada que  Ponta Delgada e o Fundo Regional para a Ciência e Tecnologia decidiram participar no projeto Urban-Waste: Urban strategies for Waste Management in Tourist Cities”.

A sustentabilidade é um assunto relevante para os destinos turísticos da Europa e do mundo. O desperdício de recursos e a produção de resíduos urbanos nos principais destinos europeus é um problema local, sob a alçada dos municípios, mas também da responsabilidade dos visitantes

O Urban-Waste envolve 28 parceiros e 11 cidades-piloto da União Europeia, entre as quais Ponta Delgada, e é financiado pela Comissão Europeia. Ponta Delgada foi selecionada como cidade-piloto devido às suas características insulares e a um aumento anual do setor do turismo, características que constituem desafios crescentes à gestão dos resíduos urbanos produzidos.

Através de um processo participativo, o Urban-Waste compromete-se a desenvolver um manual prático para “ajudar os decisores políticos a responderem de forma mais eficaz aos desafios causados pela produção de resíduos urbanos e pelos níveis elevados e insustentáveis no consumo de recursos”.

A parceria público-privada hoje assinada, no Hotel Marina Atlântico, entra em vigor no imediato.

Pub