PUB

A ministra da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Elvira Fortunato, afirmou hoje que novo modelo de financiamento das universidades vai contemplar uma revisão das “especificidades” das academias dos Açores e da Madeira.

“Iniciamos agora no início do ano a revisão do modelo de financiamento. Queremos que seja um modelo, acima de tudo, transparente e justo. É evidente que todas as especificidades, quer da Universidade dos Açores, quer da Madeira, vão estar revistas”, declarou.

A governante falava hoje aos jornalistas após uma visita ao teleporto da ilha de Santa Maria, nos Açores.

PUB

Elvira Fortunato admitiu que as universidades insulares devem ter uma “discriminação positiva”, mas lembrou que as instituições do interior do continente português também têm “especificidades”.

“É evidente que cada instituição do ensino superior tem as suas especificidades e tudo isso será tido em linha de conta no novo modelo de financiamento”, reforçou.

O futuro modelo de financiamento do ensino superior, garantiu, “vai ser apresentado e discutido com todos os intervenientes” do setor.

Quando questionada, a ministra não revelou os valores do contrato-programa entre o Governo da República e a Universidade dos Açores, mas prometeu que o acordo “vai ser operacionalizado este ano de certeza absoluta”.

O presidente do Governo dos Açores (PSD/CDS-PP/PPM), José Manuel Bolieiro, disse ter a “boa expectativa” de que a questão do financiamento à academia açoriana vai “ser resolvida”.

“O nosso percurso é o da valorização da universidade no que diz respeito ao financiamento e à sua suficiência possível, mesmo fora do quadro da lei de financiamento do ensino superior público. Que possa existir uma discriminação positiva que atenda às especificidades da Universidade dos Açores”, afirmou o social-democrata.

Na quarta-feira, por ocasião do aniversário da Universidade dos Açores (UAc), a reitora lamentou a falta de vontade política para corrigir o subfinanciamento das academias insulares e mostrou disponibilidade para colaborar no novo modelo de financiamento do ensino superior.

Na ocasião, o Governo açoriano e o presidente da Assembleia Regional criticaram a falta de financiamento à Universidade dos Açores, enquanto o representante da República apelou à “comunhão de propósitos” entre a República e a região.

Em 06 de janeiro, a Assembleia da República chumbou dois diplomas que pretendiam reforçar o financiamento das universidades da Madeira e dos Açores, de forma a compensar os constrangimentos decorrentes da insularidade.

Pub