PUB

A Federação Agrícola dos Açores (FAA) manifestou hoje preocupação com o aumento do custo da eletricidade previsto para 2023 na região, apelando ao Governo Regional (PSD/CDS-PP/PPM) que implemente medidas para mitigar os seus impactos.

“O aumento das tarifas e preços para a energia elétrica anunciado pela ERSE a partir do próximo de 01 de janeiro, que incidem nos consumidores de baixa tensão, em especial e principalmente nos de média tensão, é uma preocupação para a Federação Agrícola dos Açores”, refere-se em nota de imprensa.

De acordo com a FAA, liderada por Jorge Rita, os consumidores de média tensão, como a indústria e os serviços, “vão sofrer aumentos consideráveis, penalizando de uma forma objetiva os setores produtivos da região, como o agrícola, em que os custos dos fatores de produção das explorações tenderão a aumentar e assim criar mais dificuldades aos agricultores”.

PUB

Para os representantes do setor, as subidas programadas para a energia elétrica, “devido ao efeito multiplicador que têm na economia, provocarão a curto prazo, o aumento dos custos dos produtos e dos serviços na região, e com isso, a continuação das condições ideais para o crescimento das taxas de inflação”.

A FAA refere que esta situação “acabará por se refletir nos preços dos produtos e serviços a adquirir pelos agricultores, o que contribuirá para a diminuição do seu rendimento, agravando o quadro atual, onde as subidas dos combustíveis, das matérias-primas, dos fertilizantes, ou das taxas de juro, constituem já um problema para os agricultores açorianos”.

A organização de produtores apela à intervenção do Governo dos Açores para que “sejam implementadas as medidas capazes de conter os impactos dos aumentos de eletricidade previstos, e assim, proteger a economia regional”.

Pub