Espírito crítico e autoestima nas crianças são aliados na prevenção de comportamentos de risco

A Diretora Regional da Prevenção e Combate às Dependências defendeu hoje, em Angra do Heroísmo, o fomento de um espírito crítico e da autoestima nas crianças, como forma de as capacitar para a prevenção de comportamentos de risco.

“As escolhas alicerçam-se no saber e preparam-se na primeira infância, razão pela qual a Direção Regional da Prevenção e Combate das Dependências continua cada vez mais apostada em promover ações junto das crianças”, salientou Suzete Frias.

A Diretora Regional, que falava numa aula sobre prevenção da problemática das dependências, dirigida a crianças do 3.º ao 6.º ano do Colégio de Santa Clara, demonstrou, através de um pequeno filme, como as crianças são suscetíveis à pressão dos seus pares.

“Na transição para a adolescência, em que a curiosidade desponta, a necessidade de ser aceite, e a dificuldade na gestão das emoções e o conflito na tomada de decisão mais se fazem sentir, é a etapa em que se deverá reforçar competências”, frisou.

Suzete Frias considerou que há uma mudança de paradigma que acompanha a progressiva consciencialização dos fatores protetores e de risco envolvidos ao longo do ciclo de vida desde a primeira infância.

“A condenação moral dos comportamentos de risco e a culpabilização foi substituída pelo pensamento preventivo que se reflete na forma pedagógica como se transmite informação, por exemplo, nos módulos dedicados à saúde escolar”, lembrou.

Esta é uma ação de prevenção universal, que se enquadra nos objetivos gerais do Programa do Governo de prevenção através da promoção da informação e sensibilização das crianças, que tem como foco os contextos relacionais.

Suzete Frias lembrou ainda que os pressupostos da proteção das crianças e jovens e a prevenção e educação estão presentes em várias outras medidas que estão em curso, como o Plano de Ação de Redução dos Problemas Ligados ao Álcool e o Plano de Ação de Combate ao Tabagismo.

Partilha