Empresários das Flores têm contribuído para o desenvolvimento da economia da ilha

O Diretor Regional de Apoio ao Investimento e à Competitividade destacou o investimento privado nas Flores, adiantando que as candidaturas ao sistema de incentivos Competir+ totalizam mais de 1,3 milhões de euros de investimento, prevendo a criação de cerca de duas dezenas de postos de trabalho nesta ilha.

Ricardo Medeiros, que falava quinta-feira, em Santa Cruz das Flores, numa sessão de esclarecimento promovida pela Câmara de Comércio e Indústria da Horta, salientou que o total de investimentos candidatados ao Competir+ tem ultrapassado as expetativas nos Açores, sendo o montante total de investimentos realizados e a realizar no arquipélago no âmbito deste quadro comunitário superior a 512 milhões de euros.

“Com a concretização destes projetos, prevê-se a criação de mais de 2.700 postos de trabalho nos Açores, distribuídos pelas várias ilhas”, afirmou.

O Diretor Regional destacou ainda, no âmbito do Competir+, a medida ‘Desenvolvimento Local‘, mais conhecida por microprojetos, cuja concretização “tem sido um sucesso, justificando o seu surgimento”, revelando que “217 candidaturas apresentadas até agora, mais de 2,5 milhões de euros de investimento e a criação prevista de 217 postos de trabalho permitem reafirmar o êxito desta medida, que pretende apoiar pequenos projetos entre 2,5 e 15 milhões de euros na indústria, serviços, comércio ou restauração”.

Ricardo Medeiros apontou ainda outra medida implementada mais recentemente, nomeadamente a possibilidade das empresas regionais poderem candidatar-se aos designados Vales, que “pretendem ser processos simplificados de apoio às empresas em áreas muito especificas”.

“Atualmente já é possível efetuar candidaturas para o Vale Incubação e para o Vale PME Digital Açores, estando já publicado o aviso que prepara o Vale Exportação”, frisou.

O Vale Incubação, segundo o Diretor Regional, visa “apoiar o surgimento de novas empresas na Região, promovendo o empreendedorismo enquanto potencial de inovação e regeneração dos tecidos económicos setoriais e regionais, através do apoio à aquisição de serviços especializados imprescindíveis ao arranque das empresas”, enquanto o Vale PME Digital tem por objetivo “reforçar a competitividade das empresas através do apoio à contratação de serviços nos domínios das tecnologias digitais”.

“Recentemente foi publicado o Aviso de Acreditação do Vale Exportação para as empresas que irão fornecer serviços conducentes à capacitação das empresas para a entrada em mercados externos”, acrescentou.

Nesta sessão de esclarecimento, Ricardo Medeiros relembrou que o Regime de Apoio ao Microcrédito Bancário nos Açores continua em vigor e permite apoiar a criação do próprio negócio por desempregados ou trabalhadores precários, mas também apoia pequenos projetos promovidos por microempresas já existentes, dando-lhes a possibilidade de aceder a um crédito bancário sem juros e com garantia da Região, no valor máximo de 20 mil euros, para implementarem pequenas melhorias nas suas empresas.

“Todos estes apoios têm permitido uma consolidação do nosso tecido empresarial e têm claras implicações na nossa economia e no nosso crescimento económico, o que é confirmado pelo Índice de Atividade Económica recentemente divulgado pelo Serviço Regional de Estatística dos Açores, que é superior a 2.1”, frisou o Diretor Regional.