No último congresso do PS/Açores, que decorreu na Praia da Vitória, em setembro de 2018, Vasco Cordeiro anunciou, na sessão da sua abertura, a constituição de um grande movimento de participação cívica e política denominado “Os Açores Primeiro”.

Sábado passado foi o dia um, com a apresentação deste movimento que, sendo impulsionado pelo Partido Socialista dos Açores, pretende ser abrangente a todos as açorianas e açorianos que tenham disponibilidade e vontade de participar e de contribuir para uns Açores cada vez melhores, e que vai muito para além das fronteiras partidárias.

Este movimento tem uma comissária geral, a professora universitária Sandra Dias Faria e um comissário executivo, o advogado Nuno Tomé, estando organizado em cinco áreas temáticas, que são:

  • Qualidade de vida, onde estão incluídos Demografia, Saúde, Educação e Formação, Habitação, Emprego e Desporto, e que é coordenada pela médica Ana Catarina Rego.
  • Coesão, que é composta por Mobilidade, Acesso aos mercados, Especialização Económica e Diferenciação, e que está a cargo do engenheiro eletrotécnico e de computadores, Ivo Sousa.
  • Desenvolvimento sustentável, onde estão contidos Ambiente, Agricultura, Pescas, Ciência, Inovação, Economia e Energia e que é orientada pela bióloga Carla Gomes.
  • Cultura e Património, onde se inserem os tópicos da Gestão e Defesa do Património, da Cultura e da Arte, coordenada pela designer e encenadora Ana Brum.
  • Governação e transparência, da qual constam os tópicos Governação, Transparência, Administração Publica e Participação eleitoral, a cargo do advogado Rodrigo Oliveira.

Este é um movimento que pretende ser um espaço aberto a toda a sociedade onde se poderá dar opinião, propor ideias, refletir, criticar, se necessário, sendo um exercício alargado de cidadania que vai muito para além das meras opiniões e críticas desinformadas das redes sociais e das conversas de café. É um movimento que pretende que se olhe para os desafios que se nos colocam enquanto comunidade, ancorado em abordagens inovadoras e disruptivas, se necessário for.

Todos contam – Os Açores Primeiro é um exercício de Liberdade, Cidadania, Responsabilidade e de Autonomia.