Emanuel Furtado | Política e afins: Açores, Destino Turístico Sustentável

Emanuel Furtado | Política e afins: Açores, Destino Turístico Sustentável
Opinião: Emanuel Furtado (Polític...

 
 
00:00 / 2:28
 
1X
 

Os Açores são, atualmente, o primeiro arquipélago do mundo e a primeira região de Portugal com certificação de destino turístico sustentável, uma distinção atribuída a apenas 13 regiões no mundo. Com isto, o país entra para a lista de 8 países com regiões certificadas pelo Global SustainableTourismCouncil.

Mas esta distinção “não cai do ar aos trambolhões”. É fruto de um trabalho que tem vindo a ser desenvolvido pelo Governo dos Açores, desde há pelo menos dois anos, com muita determinação e muito afinco e cujos resultados estão agora à vista.

Foram avaliados diversos parâmetros, como a conservação da energia, da água, a emissão de gases com efeito de estufa, a qualidade do ar, a poluição ruidosa e luminosa, a gestão dos ecossistemas, os transportes e a gestão cultural e social.

Devemos, enquanto açorianos, estar orgulhosos desta distinção até porque, somos os primeiros no país a sermos laureados com este galardão. Mas há que ter atenção que este prémio tem a validade de apenas um ano e traz responsabilidades acrescidas, ou seja, exige-se que os padrões de qualidade sejam, no mínimo, mantidos, senão elevados a outros patamares nos próximos anos.

É preciso termos a noção de que esses fenómenos turísticos só são bons se trouxerem benefícios para os açorianos. Os agentes turísticos também se deverão posicionar de forma a captar os segmentos que valorizam quem se preocupa com os fenómenos da sustentabilidade. Quer isto dizer que todos podem sair beneficiados com esta atribuição.

Contudo, é preciso ter a noção que ainda subsistem muitas debilidades no ramo do turismo, desde logo, no que toca aos recursos humanos e às suas qualificações para esta área tão fundamental para os Açores. Isto significa que todos, mesmo todos, têm de estar alinhados com a continuidade da estratégia de qualificação dos recursos humanos para garantir cada vez mais qualidade na receção aos que nos visitam.

Ao Governo dos Açores, às autarquias, aos empresários, a palavra de ordem deve continuar a ser:Qualificar!