PUB

O presidente do Governo dos Açores, José Manuel Bolieiro, anunciou hoje que a elétrica da região (EDA) vai investir 11 milhões de euros na ilha do Corvo para aumentar a produção de energias renováveis.

“O Governo está a fazer investimentos com as empresas do setor público empresarial, onde destaco, para os próximos tempos, o investimento a ser realizado pela EDA na ordem dos 11 milhões de euros para garantir melhor capacitação da utilização das renováveis com distribuição na rede”, afirmou.

O líder do executivo dos Açores falava aos jornalistas após a reunião com o Conselho de Ilha que decorreu no pavilhão multiúsos do Corvo.

PUB

O social-democrata considerou tratar-se de um “investimento muito importante” para assegurar a “autonomia energética da ilha” açoriana.

Bolieiro disse ter notado “satisfação” por parte daquele organismo quanto à atuação do Governo Regional e destacou as medidas do executivo com impacto na ilha, como a contratação do navio “Thor” (responsável pelo abastecimento) e a Tarifa Açores (que permite viagens aéreas entre as ilhas a 60 euros).

O presidente do Conselho de Ilha, José Manuel Silva, disse ter ficado “satisfeito” com os esclarecimentos prestados pelo Governo Regional, mas alertou que os projetos precisam de ser concretizados.

“A questão volta a ser aquela que tem sido até agora: esperemos que possamos passar aos atos e que aquilo que foi dito não tenha interferência de outro alguém para que possa ser efetivamente concretizado”, avisou o socialista que também preside ao único município da mais pequena ilha açoriana.

Durante a reunião, a propósito da campanha de desratização reivindicada pelos conselheiros, o secretário da Agricultura e Desenvolvimento Rural, António Ventura, avançou que a ilha vai receber mais 300 quilos de veneno em 2023 para combater a praga.

Já a secretária do Turismo, Mobilidade e Infraestruturas, Berta Cabral, destacou que é necessário perceber as “necessidades de intervenção” no pavilhão desportivo para proceder ao concurso de requalificação.

Berta Cabral avançou ainda que o trilho da cara do índio vai ser intervencionado e que a requalificação da aerogare vai incluir um novo espaço para os bombeiros.

Segundo o memorando do Conselho de Ilha entregue ao Governo Regional, a que a agência Lusa teve acesso, os corvinos pediram a “reparação e manutenção” do pavilhão desportivo e solicitaram um “ponto de situação sobre a ampliação do quartel dos Bombeiros Voluntários”.

Devido ao estado do tempo na ilha, o Governo Regional, que está a realizar uma visita estatutária ao Corvo, cancelou o fórum autonómico que iria ser dedicado à observação de aves.

Recorde-se que o presidente da Proteção Civil dos Açores pediu hoje à população do grupo Ocidental (Flores e Corvo) do arquipélago que fique em casa devido às previsões de mau tempo, em particular a agitação marítima e o vento.

Segundo o Estatuto dos Açores, o Governo Regional tem de visitar cada uma das ilhas do arquipélago pelo menos uma vez por ano, com a obrigação de reunir o Conselho do Governo na ilha visitada.

Pub