Educação Parental tem potenciado aumento de práticas parentais positivas, afirma Andreia Cardoso

A Secretária Regional da Solidariedade Social afirmou hoje, na Horta, que os programas de Educação Parental implementados nos Açores “têm revelado um aumento de práticas parentais positivas e a redução do número de problemas de comportamento das crianças e jovens em casa e na escola”.

Andreia Cardoso salientou que a avaliação dos resultados da aplicação destes programas apresenta “evidências relativas a um maior bem-estar parental percecionado pelos pais ou pelas figuras parentais”.

“Desde que a Educação Parental surgiu na ilha de São Miguel como projeto-piloto, já foram abrangidos pelos diversos programas um total de 1.325 adultos e 1.389 crianças e jovens”, revelou Andreia Cardoso, que falava à margem do ‘Encontro de Famílias’, promovido pelo Instituto de Segurança Social dos Açores (ISSA) para a entrega de certificados às famílias e cuidadores que participaram nos programas de Educação Parental que decorreram na ilha do Faial.

O Encontro pretende valorizar o esforço das famílias e/ou cuidadores face à sua participação nos programas ‘Anos Incríveis’ e ‘Mais Família, Mais Jovem’, assim como promover a sua divulgação.

Estes projetos no âmbito da Educação Parental são dirigidos a figuras parentais e cuidadores de crianças, respetivamente dos 2 aos 8 anos de idade e dos 9 aos 18 anos.

“Prevê-se que em 2019 sejam abrangidos 250 pais e 420 crianças com a aplicação destes dois programas, o ‘Mais Família Mais Jovem’ e o ‘Anos Incríveis’, nas ilhas de São Miguel, Terceira, Faial e Pico”, disse a titular da pasta da Solidariedade Social.

“Estamos a promover a parentalidade responsável, como forma de assegurar a todas as crianças e jovens, desde o início de vida, um processo de desenvolvimento integral e inclusivo, a nossa primeira prioridade na Estratégia Regional de Combate à Pobreza e Exclusão Social”, frisou Andreia Cardoso.