Educação é “prioridade” na política pública municipal de Ponta Delgada

O Presidente da Câmara Municipal de Ponta Delgada, José Manuel Bolieiro, reafirmou esta tarde que a educação é uma prioridade no pensamento e ação da política pública municipal.

Uma atuação que não se limita ao investimento no manter, construir, ampliar e requalificar o edificado, mas antes privilegia a componente pedagógica e o envolvimento de cidadania.

“Esta aposta é feita não por exigência legal, mas por impulso e prioridade à valorização das pessoas e ao processo educativo”, ressalvou o edil.

O Presidente do Município falava no Salão Nobre na cerimónia de renovação dos protocolos de cooperação do programa de apoio à criação da Rede Municipal de Bibliotecas Escolares destinadas ao 1.º ciclo do ensino básico nas escolas públicas do concelho.

No ano letivo 2018/2019, a Câmara Municipal dotou as bibliotecas das básicas integradas de Arrifes, Canto da Maia, Capelas, Ginetes e Roberto Ivens  com 1635 livros, num investimento a rondar os 14 mil euros, anunciou José Manuel Bolieiro.

O edil avançou, igualmente, que desde que este projeto teve início, em 2014, a Câmara já entregou mais de 10 mil livros às escolas do 1.º ciclo do ensino básico concelho.

Após consulta a todas as escolas e tendo por base as necessidades elencadas, este ano, optou-se por reforçar maioritariamente as obras regionais e obras direcionadas para os 3º e 4º anos de escolaridade, no âmbito do Plano Nacional de Leitura.

Esta é uma iniciativa do Município presidido por José Manuel Bolieiro, a que se junta o projeto Ler no Dia (são disponibilizados nas escolas diariamente dois exemplares dos dois maiores jornais regionais para criar hábitos de leitura), o OPE (Orçamento Participativo Escolar que cultiva e garante hábitos de cidadania) e a Ciência Divertida (contribui para o ensino da ciência e para a descoberta de vocações), exemplificou o autarca pontadelgadense.

Bolieiro propôs esta tarde às escolas um novo projeto que consiste em promover conversas com escritores/autores locais em torno dos livros e da literatura nos estabelecimentos de ensino. Uma ideia que foi bem acolhida pelos professores e representantes das escolas presentes no evento desta tarde.

Na ocasião, o Presidente congratulou-se com a “franca cooperação” mantida entre o Município e as Escolas e pautada pelo “consolidar o que está bem feito, melhorar o que há a melhorar e criar coisas novas”.