Carlos César, mandatário regional do PS/Açores
Pub

O Presidente do Partido Socialista, Carlos César, apelou ao voto dos Açorianos como forma de celebrar “a Democracia”, dar “conteúdos à nossa Autonomia” e para defender os Açores: “É preciso dar mais força ao PS! É preciso dar uma maioria segura ao governo! (…) É preciso votar, e votar em força no PS, para evitar a instabilidade que nos faria perder e para darmos aos Açores a força que precisamos todos para vencer”.

Carlos César, que falava na sessão de encerramento da campanha eleitoral do PS/Açores, esta quinta-feira à noite, alertou para a importância de ir votar “e não deixar o futuro de cada um de nós apenas ao juízo, ou à falta de juízo, dos outros”. Lamentou que, durante a campanha eleitoral, os outros partidos tenham falado “mais do PS do que dos Açores – e quase nem falaram daquilo que fariam no governo se ganhassem eleições, (…) Todos só pensaram em denegrir o governo! Todos só pensam em como tirar a maioria ao PS!”.

O Presidente Honorário do PS/Açores alertou para o momento que se vive: “Não é tempo de andarmos aflitos com uma constante instabilidade, de consumirmos um tempo, que é precioso, de nunca sabermos se podemos no dia seguinte fazer o que devemos, se aprovamos ou não o Orçamento como está a acontecer no País, se o governo cai ou não deixando em sobressalto ou na dúvida constantes as pessoas, as famílias, os empreendedores e os empregadores, ou, até, os credores externos”.

Para o mandatário regional do PS/Açores, a crise imprevista da COVID, que “caiu como uma ameaça nas nossas casas, como uma praga invisível sobre os nossos ombros, exige muito de todos, e, em particular, do governo e do Presidente Vasco Cordeiro”.

César ecordou, também, que “este ano foi um ano de muitas aflições para a governação e para Vasco Cordeiro”, com o furacão Lorenzo e com a pandemia, mas, como acrescentou, “este ano também está a provar que temos um Presidente, corajoso e ponderado, um Presidente em quem podemos confiar!”

Num altura em que, “infelizmente, um pouco por toda a parte a pandemia continua a deixar sinais de morte e de destruição da economia, do emprego e das relações sociais”, Carlos César considerou que o Governo do Partido Socialista “conseguiu, até agora, conter a expansão da pandemia e evitar, também até agora, muitas falências de empresas e muitos despedimentos”.

“Ninguém no PS ou no Governo, estou convencido, ignora o muito trabalho que há a fazer para melhorar o desempenho da nossa Região, para gerarmos mais riqueza, para diminuirmos desigualdades que persistem e para progredirmos com mais garantias, mas é bom recordarmos que estávamos a fazer grandes progressos, até que chegou a COVID”, sublinhou.

O Presidente do PS recordou o “longo caminho” que o PS fez em mais de 40 anos “de Democracia e de Autonomia” e manifesta orgulho no “caminho que estamos a fazer, ao serviço aos Açores, em que os nossos governantes nunca foram acusados de abusos ou de corrupção e não enriqueceram na política”.

“Se continuarmos a aprender e a governar com humildade, a ouvir e a atender às pessoas, a corrigir quando confrontados com erros ou omissões, a melhorarmos através da entreajuda, se continuarmos a realizar com competência e inovação, se continuarmos atentos ao evoluir e às consequências desta pandemia que nos chegou, e se nunca perdermos a paixão pelos Açores e pelas causas da igualdade de oportunidades que abraçámos, estaremos, seguramente, do lado das vitórias”.

Pub