Rafael, um magnata da pesca nos Estados Unidos conhecido como “The Codfather”, foi condenado em outubro a quase quatro anos de prisão por não respeitar as quotas de pesca e por enviar clandestinamente dinheiro para Portugal.

O diretor-executivo da Comissão de Desenvolvimento do Porto de New Bedford, Edward Anthes-Washburn, informou hoje que a embarcação Dinah Jane foi posta a flutuar na segunda-feira e que o Nemesis voltou à superfície no fim-de-semana.

Ambas as embarcações afundaram-se a 04 de fevereiro quando estavam amarradas uma à outra no Cais Homer em New Bedford. A Guarda Costeira dos EUA ainda está a investigar as circunstâncias em que os dois barcos foram ao fundo.

Carlos Rafael era o dono de uma das maiores operações de pesca comercial dos Estados Unidos.

O português alegava que as suas embarcações apanhavam hadoque (conhecido também por eglefim ou arinca) ou paloco, quando na verdade apanhavam espécies de pescado com quotas de apanha muito mais rígidas, informaram as autoridades federais. Depois vendia esse peixe mais caro a dinheiro, parte do qual era enviado clandestinamente para Portugal.

A operação de pesca de Carlos Rafael incluía uma frota de mais de 30 embarcações, 44 licenças de perca comercial e a empresa Carlos Seafood em New Bedford.

A 26 de setembro, Carlos Rafael foi condenado a 46 meses de prisão efetiva, mais três anos de liberdade condicional, e ao pagamento de uma multa de 200 mil dólares (170 mil euros).

Também lhe foram confiscadas três embarcações e 34 licenças de pesca.

As embarcações apreendidas estão avaliadas em 2,2 milhões de dólares (cerca de 1,9 milhões de euros).

No início do ano, Rafael, de 65 anos, tinha confessado a culpa em 28 crimes, incluindo conspiração, incorreta classificação de peixe, contrabando de dinheiro, fuga de impostos e falsificação de registos federais.

O imigrante da ilha do Corvo é dono de uma das maiores operações de pesca comercial do noroeste americano, a Carlos Seafood Inc, e aguardava a leitura da sentença em liberdade, depois de ter pago no ano passado uma caução de um milhão de dólares (cerca de 930 mil euros).

Segundo a acusação, o empresário conhecido por “The Codfather” (um trocadilho com as palavras bacalhau e o título do filme ‘Padrinho’ em inglês) mentiu durante anos às autoridades sobre as quantidades e espécies de peixe capturadas pela sua frota para contornar quotas de pesca sustentável.