Dom Carlos Azevedo preside a missa campal das XVI Grandes Festas do Divino Espírito Santo de Ponta delgada

Dom Carlos Azevedo, na Missa da Coração, esta manhã, afirmou que o Espírito Santo nos transforma, “dá alegria, não oprime e indica projetos felizes” e “dá-nos abertura para entender a palavra de Deus”.

“O Espírito Santo ajuda-nos a mover montanhas que parecem intransponíveis e a retirar-nos do isolamento”, reforçou o Bispo do Conselho Pontífice da Cultura do Vaticano, acrescentando que “o verdadeiro culto traduz-se no serviço ao público”.

“Todas as pessoas empenhadas na política, nas questões sociais, devem estar munidas de uma grande capacidade de discernimento” e ter “perceção da paz fruto da justiça”, sustentou.

O convidado de honra das Grandes Festas do Divino Espírito Santo de Ponta Delgada defendeu que “ter misericórdia numa Europa em crise profunda é compreender a amplitude dos problemas, com as suas consequências, económicas, sindicais, empresariais, associativas; é mover energia para um novo modelo de desenvolvimento que permita cada ser humano ser amado”. “O modelo de desenvolvimento que domina o mundo, complexo e global, obriga-nos a definir estratégias de intervenção eficaz criadoras de proximidade”, alertou, apontando que a “exclusão é monstruosa e está a ser promovida por alguns políticos europeus” e que o “Espírito Santo move-nos, inclina-nos para cuidar com ternura dos males da nossa sociedade”.

A missa campal, que teve lugar no Largo da Matriz, foi concelebrada por vários sacerdotes, entre eles o pároco da Matriz, Pe Nemésio Medeiros, o Cónego António Rego, que desde a primeira hora tem sido uma presença constante nesta festa, e Dom Carlos Azevedo, e acompanhada pelo Coral de São Sebastião.

Participaram na celebração eucarística, entre outras entidades, o executivo camarário, o presidente da Assembleia Municipal de Ponta Delgada, os convidados das festas (presidente e vice-presidente da Câmara Municipal de Alenquer e o presidente das Grandes Festas de Nova Inglaterra), mordomos de todo o concelho e centenas de devotos.

O Presidente da Câmara Municipal de Ponta Delgada, José Manuel Bolieiro, leu a 1.ª leitura (Leitura do Livro do Deuteronômio) e o Presidente da Assembleia Municipal, Francisco Rêgo Costa, a 2.ª leitura (Leitura dos Atos dos Apóstolos).

A Oração dos Fiéis foi proferida pelo Presidente da Junta de Freguesia de São Sebastião, José Maria Rego.

A coleta reverterá a favor de uma instituição de idosos em São Tomé e Príncipe.

Após a Missa da Coroação teve lugar o tradicional Bodo de Leite, nas Portas da Cidade, em mais um momento de partilha e de proximidade, características das Grandes Festas do Divino Espírito Santo de Ponta Delgada.