Paulo Teves destaca importância de uma diáspora integrada e participativa nas sociedades de acolhimento

O Diretor Regional das Comunidades defendeu, nos Estados Unidos da América, a importância de os Açores terem uma diáspora “integrada e participativa nas sociedades de acolhimento”.

“Apraz-nos registar a importância que os nossos emigrantes colocam na estabilidade da sua situação face ao território onde residem, obtendo, assim, um maior leque de oportunidades”, afirmou Paulo Teves, que falava durante uma visita ao Immigrant Assistance Center, em New Bedford, sublinhando que isso “contribui para uma maior defesa dos seus interesses e para a afirmação da sua presença na sociedade norte-americana”.

No encontro que teve com a Diretora Executiva da organização, Helena Silva Hughes, o Diretor Regional destacou o trabalho que tem sido desenvolvido junto da comunidade açoriana da costa leste dos EUA, nomeadamente nas respostas a situações de maior vulnerabilidade e de acompanhamento dos processos emigratórios, bem como o programa de apoio a emigrantes da terceira idade, através de um centro de convívio naquela cidade.

“O Governo dos Açores tem como uma das prioridades na sua ação a plena integração de todos os Açorianos que escolheram o percurso emigratório, pelo que a parceria com organizações que trabalham junto da comunidade é fundamental na definição de soluções que vão ao encontro das suas necessidades”, salientou Paulo Teves.

Para o Diretor Regional das Comunidades, “os programas de sensibilização nas escolas sobre os processos de obtenção da cidadania e as aulas de preparação para os testes a realizar no mesmo âmbito, promovidos pelo Immigrant Assistance Center, têm contribuído para o aumento do número de emigrantes Açorianos a adquirem a nacionalidade norte-americana”.

O Immigrant Assistance Center é uma das 13 instituições dos EUA e do Canadá apoiadas pela Direção Regional das Comunidades que fazem parte da Rede Internacional de Organizações de Serviço Social, que, trabalhando em rede, facilita uma resposta rápida e eficaz a situações que lhes são colocadas por Açorianos residentes na diáspora e por aqueles que já regressaram aos Açores.

Fundado em 1971, o Immigrant Assistance Center tem como missão ajudar os imigrantes a ultrapassar as barreiras económicas, culturais e linguísticas com que se depararam e a integrarem-se na sociedade norte-americana, sendo reconhecido e acreditado pelo U.S. Citizenship and Immigration Services.