Diáspora açoriana no Canadá afirma Região no mundo, salienta Diretor Regional das Comunidades

O Diretor Regional das Comunidades salientou que a diáspora açoriana no Canadá contribui para a “afirmação” da Região no mundo e para a “valorização do Povo Açoriano”.

Paulo Teves, que falava sexta-feira, na Ribeira Grande, na abertura da conferência organizada pela Associação de Emigrantes Açorianos, no âmbito das comemorações dos 65 anos de emigração açoriana para o Canadá, destacou que os milhares de Açorianos que rumaram a este país “têm conseguido, com muito mérito, aliar a plena integração na sociedade que os acolheu à permanente ligação com as suas ilhas de origem”.

“De costa a costa, notamos que a presença açoriana é reconhecida pela sua dedicação e contributo para o desenvolvimento das várias províncias e territórios onde escolheram estabelecer-se”, afirmou o Diretor Regional, acrescentando que, paralelamente, têm conseguido “criar espaços privilegiados de manutenção e de promoção da nossa identidade insular”.

Na sua intervenção, Paulo Teves disse ainda que as dezenas de organizações comunitárias, desde as culturais às desportivas, passando pelas de apoio social às irmandades do Divino Espírito Santo, pelas filarmónicas ou grupos folclóricos, “constituem um património que tem permitido transmitir, de geração em geração, a matriz cultural que nos identifica e que está presente nesse país graças aos pioneiros de 1953 e todos aqueles que, posteriormente, se seguiram”.

Nesse sentido, considerou essencial a cooperação que o Governo dos Açores mantém com muitas organizações, quer no apoio à sua ampla ação, quer na concretização de projetos específicos que contribuem não apenas para o reforço da presença açoriana no Canadá, mas também para o incremento das relações entre a diáspora e o arquipélago.

Para o Diretor Regional das Comunidades, assinalar 65 anos de emigração açoriana para o Canadá é, sobretudo, “reconhecer os percursos de vida de cada um e de todos os emigrantes nesse país”, bem como “o seu empenho na criação e dinamização de um património associativo que muito nos honra, e o compromisso que assumiram e assumem em perpetuar junto dos mais novos o legado que nos é comum”.

“Neste momento, um dos desafios, e que reconhecemos como prioritário, consiste em fomentar, cada vez mais, a participação dos jovens no revigorar das associações e na versatilidade da sua ação, em variadas áreas , desde logo com a divulgação da realidade atual da Região, que contribuirão para o desenvolvimento dos Açores e das comunidades onde se encontram estabelecidos”, afirmou o Diretor Regional, salientando que “esta missão tem sido também assumida por inúmeras organizações e líderes comunitários.”

A sessão comemorativa, que decorreu no Teatro Ribeiragrandense, contou com diversos oradores e com a apresentação do livro ‘De uma ilha para a outra – Fragmentos de Memória’, de José Luis Jácome, que foi apoiado pela Direção Regional das Comunidades, além de uma homenagem aos antigos responsáveis pela área das Comunidades no Governo dos Açores, designadamente Duarte Mendes e Alzira Silva.