Deputados do PS perguntam: quem não cumpre, como pode exigir?

Os deputados do PS eleitos pelos Açores, Carlos César, Lara Martinho e João Castro, lamentam a amnésia da deputada do PSD Berta Cabral a propósito da sua intervenção no debate na generalidade sobre o Orçamento do Estado para 2019 (OE2019).

Os socialistas insulares têm dificuldades em perceber como é que a deputada social-democrata pode considerar pouco um OE que cumpre. E estranham ainda mais quando finge que não conhece bem os dossiers que enumera. “Berta Cabral foi secretária de Estado no anterior Governo, comprometeu-se com os açorianos e nada fez”, lamentam. “A ambição que agora mostra contrasta com a do passado, quando podia ter intervindo e deixou estes assuntos na estaca zero”, apontam.

Carlos César, Lara Martinho e João Castro reiteram que o OE, hoje aprovado na generalidade, continua a concretizar importantes objetivos para os Açores. “Falamos do cumprimento integral da Lei das Finanças Regionais, das transferências das receitas de impostos do fat tax’ e dos jogos sociais. Falamos da certificação do aeroporto das Lajes e da vinda da companhia low cost Ryanair para a Terceira, falamos de investimentos nas esquadras, superior a 5 milhões de euros, e o reforço de efetivos investimentos na RTP Açores que hoje tem novas e dignas instalações”, exemplificam.

Mas não é só. “Não esquecemos que decorre o concurso público para a instalação do radar meteorológico de Santa Bárbara, e assistimos a uma ação consequente na descontaminação na ilha Terceira como nunca tínhamos assistido antes. E não podemos ignorar que este Governo olha de forma estratégica para os Açores e aposta em projetos inovadores como o Centro para a Defesa do Atlântico, o Porto Espacial em Santa Maria, ou o Observatório do Atlântico, com o desenvolvimento de medidas efetivas para a concretização destes projetos”, prosseguem.

Os deputados frisam também que o OE 2019 assume um compromisso concreto no que diz respeito à construção do estabelecimento prisional de Ponta Delgada e na defesa do investimento no Aeroporto da Horta. “Estes investimentos que podiam e deviam ter sido iniciados pelo anterior Governo PSD/CDS”, lembram. “Quem não cumpre, como pode exigir?”, concluem.