Pub

Os deputados do PS ao parlamento dos Açores eleitos pelo Faial, Tiago Branco e Ana Luís, denunciaram hoje a falta de médicos de família para acompanhar todos os utentes da ilha, situação que consideram “preocupante”.

“Neste momento, estão cerca de três mil utentes desta unidade de saúde sem médico de família e isso é, naturalmente, uma situação que nos preocupa muito”, lamentou Tiago Branco, em declarações aos jornalistas, no final de uma reunião com o Conselho de Administração da Unidade de Saúde de Ilha do Faial (USIF).

Os socialistas faialenses dizem também terem recebido frequentes “queixas” dos utentes da ilha, alguns dos quais se veem obrigados a aguardar por uma consulta aberta, desde as 06:30, para poderem ser atendidos por um médico.

“O regime de consulta aberta, que tem sido utilizado para dar resposta a essa falta de médicos, também já não está a dar a resposta que se considera adequada”, advertiu Tiago Branco, acrescentando os problemas no setor da Saúde, na ilha do Faial, contrastam com o “discurso propagandista” do Governo Regional.

A USIF tem vindo a lançar concursos públicos para a contratação de novos médicos de família e não têm surgido candidatos às vagas, problema que não é, no entanto, exclusivo daquela unidade de saúde, indicaram os deputados.

Tiago Branco lamentou, por outro lado, a demora na transferência de instalações da USIF, que já devia estar a ocupar um novo edifício, contíguo ao Hospital da Horta e construído de raiz há cerca de dois anos, ainda pelo anterior governo socialista.

“O que nos foi dito é que, até momento, o Conselho de Administração teve de aguardar o financiamento, por parte da tutela, para assegurar a aquisição de mobiliário para o edifício”, explicaram os deputados socialistas, adiantando que “a expetativa” é de que essa mudança ocorra “até ao final deste ano” ou “início do próximo”.

Pub