Deputado André Rodrigues destaca estratégia do Governo na redução dos custos energéticos nas IPSS

Seja o primeiro a partilhar esta notícia

“O Grupo Parlamentar do PS defende o apoio na sustentabilidade energética das IPSS, não através da subsidiação do consumo, mas sim através da melhoria das suas condições estruturais, nomeadamente, com a aquisição de equipamentos mais eficientes e na melhoria de comportamentos”, defendeu André Rodrigues à margem da reunião da Comissão Permanente de Economia, realizada esta terça-feira, em Ponta Delgada.

Nesta reunião onde foram ouvidos os representantes das Instituições Privadas de Solidariedade dos Açores e ainda a Secretária Regional que tutela a pasta da Energia, os deputados socialistas defenderam que a proposta do PSD sobre subsidiar o consumo energético das instituições é um “mau princípio, uma estratégia errada, de quem acha que tudo se resolve com base em apoios ou subsídios”, de quem prefere “prometer e propagandear – de forma agradar qualquer pretensão –  a parar e ter um pensamento estruturado”.

Estas medidas de propaganda assistencialista defendidas pelo PSD, podem, inclusive, ter como consequência uma externalidade negativa, que contraria o alegado espírito da proposta, pois poderão potenciar comportamentos incorretos no consumo energético das instituições à custa do dinheiro dos contribuintes”, explicou André Rodrigues.

A estratégia correta e pensada é, segundo o parlamentar: “ajudar e potenciar as melhorias no comportamento energético de todas as IPSS, de todos os seus responsáveis, dos seus utentes e funcionários, e, deste modo, contribuir para a redução efetiva da fatura mensal ajudando também, por esta via, a sustentabilidade das IPSS”.

André Rodrigues referiu que, nesta reunião da Comissão de Economia, o Governo dos Açores transmitiu aos deputados um conjunto de iniciativas que tem vindo a realizar com o intuito de promover a diminuição dos custos energéticos nas IPSS: “referiu o Programa de Eficiência Energética nas IPSS, numa parceria entre a Secretaria Regional da Energia, Ambiente e Turismo e a Secretaria Regional da Solidariedade Social, na qual foram identificadas um conjunto de instituições onde existe um maior potencial de poupança.

E nessas instituições já estão a fazer um trabalho de auditoria e de certificação energética dos edifícios, com a apresentação de medidas de correção que depois podem ser financiadas, tanto através do PROENERGIA, do PRORURAL, do PO Açores e de outros fundos nacionais”.