Pub

“O Partido Socialista de Ponta Delgada não pode aceitar que a secretária regional da Educação assuma como seu um projeto iniciado já pelo anterior Governo Regional, da responsabilidade do Partido Socialista”, disse Andreia Figueiredo, do secretariado da Secção de Ponta Delgada, citada em comunicado.

Na segunda-feira, durante a assinatura do ato de consignação da intervenção na Escola Básica 2/3 dos Arrifes, a secretária regional da Educação dos Açores, Sofia Ribeiro, disse, de acordo com nota de imprensa do Governo PSD/CDS-PP/PPM, que aquela empreitada era “o primeiro projeto de raiz deste executivo”.

Em causa está uma intervenção, com um prazo de execução de 24 meses, que dotará esta unidade escolar de uma capacidade para acolher 250 alunos do 2.º ciclo e 500 do 3.º ciclo, através da construção de um edifício de três pisos que terá mais de 35 salas, três laboratórios, uma cozinha, um refeitório, uma mediateca e um auditório com disponibilidade para 124 pessoas.

Andreia Figueiredo recorda que “foi o Governo Regional do PS que abriu o concurso público para a adjudicação da construção de novas instalações para a Escola Básica Integrada de Arrifes, ainda em 2019, concretamente a 17 de setembro de 2019”.

Pub

Esse concurso já previa a demolição dos edifícios existentes, para a criação de “37 salas de aula, salas multifuncionais de educação visual e tecnológica e as respetivas oficinas, salas de música e de informática, além de laboratórios de ciências da natureza e de físico-química”, elenca o comunicado.

Estavam incluídas a requalificação do recreio e a criação de acessos e parque de estacionamento, que o projeto consignado na segunda-feira também prevê.

A socialista lembra ainda que “foi também o anterior secretário regional da Educação e Cultura que adjudicou, a 01 de outubro de 2020, a empreitada de requalificação das instalações, numa intervenção programada de forma faseada, para não comprometer o pleno funcionamento da escola”.

“Este é apenas mais um exemplo, de entre os muitos a que já nos habituou este Governo, de que, para além de não terem um projeto e um rumo certo para a Região, se apropriam dos projetos do anterior executivo, assumindo-os como se fossem seus”, rematou.

Pub