David Morais regressa às vitórias na estrada em ciclismo

A freguesia de São Vicente Ferreira recebeu ontem a quarta prova da Taça de Estrada da ilha de S. Miguel em ciclismo.

A quarta prova da Taça de Estrada da ilha de S. Miguel, ontem realizada, teve como palco a freguesia de São Vicente Ferreira, no concelho de Ponta Delgada.

Em feriado do 10 de Junho (Dia de Portugal e das Comunidades) e Dia da Região (segunda-feira do Espírito Santo), a organização preparou uma corrida num circuito com extensão pouco superior a cinco quilómetros.

Depois do esforço do dia anterior, com uma chegada em alta, havia alguma expectativa para perceber como se apresentariam os atletas, mas a verdade é que os ciclistas voltaram a dar nota do excelente trabalho que vêm realizando, com a prova a ter momentos de grande espectacularidade e com dúvida sobre o vencedor a manter-se praticamente até à linha de meta.

Resultados ciclismo 2

Antes da “história” da prova, nota para o formato escolhido pela organização para esta corrida e para o impacto da mesma na divulgação da modalidade, principalmente pelo número de pessoas que acompanharam a mesma nas portas das suas casas, nas janelas, no exterior dos espaços comerciais e nas diversas artérias em que estava desenhado o circuito, com tudo a confirmar uma excelente jornada de promoção para o ciclismo, sendo ainda motivacional para quem corre, com os aplausos a fazerem ouvir-se a cada passagem.

Sobre a corrida, esperava-se que as primeiras voltas fossem calmas, com os principais nomes de novo a estudarem-se, até mesmo pela particularidade de ser uma prova em circuito.

No entanto, a verdade é que há sempre quem “mexa” com as coisas, não querendo que as corridas se transformem em meras formalidades até ao seu ponto decisivo. Um destes casos é Roberto Gandarinho que ontem voltou a ser o primeiro a agitar as águas, algo que aconteceu mas não trouxe grandes dividendos para o homem da equipa CD Metralhas. Ataque anulado e saía logo de seguida David Morais para nova tentativa de fuga. A verdade é que se à primeira não funcionou, à segunda – e levando na sua roda Álvaro Câmara, da Azores Skoda Cycling – e quando se estava na quarta das 14 voltas previstas a fuga acabou por ser determinante para as contas finais.

Volta a volta, os dois foram aumentando a diferença para os perseguidores revelando frescura para poderem levar os seus intentos até final.

A dividir as despesas da corrida, Morais e Câmara controlaram sempre o grupo perseguidor, embora este com o aproximar do fim da corrida tenha diminuído a diferença, com João Pedro de Medeiros, Nelson Toste, Luís Cabral e Roberto Gandarinho à cabeça à procura de, quiçá, anularem a fuga para uma chegada ao sprint.

À entrada para a última volta, todavia, percebeu-se que o vencedor seria um dos dois fugitivos e, no final, ao sprint David Morais foi mais forte e deixou o segundo lugar do pódio para Álvaro Câmara.

Contudo, a história da corrida não esteva fechada. Com as contas da Taça equilibradas, entre os perseguidores havia gente com muito interesse na pontuação e aí começaram as “jogadas” individuais que acabaram em grande espectacularidade.

Estava o grupo na recta dos Fenais e, antes da viragem para a rua do Cemitério, João Pedro de Medeiros desfere um ataque, na roda vai Nelson Toste, e Luís Cabral e Tiago Furna – dois dos mais interessados nas contas da Taça – ficam a marcar-se. Medeiros e Toste iniciam então um sprint de cerca de 1,5 quilómetros até à meta e já perto da igreja de São Vicente João Pedro de Medeiros acredita e vai sozinho rumo ao seu segundo pódio, no escalão de elites, em estrada e deixa as contas da Taça completamente lançadas.

Luís Cabral e Tiago Furna fazem, respectivamente, 10º e 11º postos e perdem preciosos pontos para uma Taça que “sai” de S. Vicente completamente relançada, com Furna a ser primeiro, mas somente com 13 pontos de vantagem para Cabral e Medeiros que se encontram empatados na segunda posição. Nelson Toste ainda poderá também ter uma palavra a dizer, uma vez que se encontra na quarta posição a 19 pontos do líder.

Em São Vicente Ferreira, e nos Juniores, Romeu Sousa voltou a vencer, enquanto nos Femininos a vitória foi para Andreia da Costa seguida por Luísa Ponte. Na Promoção, venceu Marco Raposo.

Por equipas, novo triunfo para a Azores Skoda Cycling, seguida pela CD Metralhas e pela Fontinhas Activa/Promotora.

No final da jornada dupla do fim-de-semana fica a certeza de emoção até final na Taça de Estrada de S. Miguel, com a última prova a estar marcada para 14 de Julho em Rabo de Peixe.

Será de novo uma corrida em circuito, num traçado com pouco mais de 8 quilómetros e em que é esperada uma luta intensa pelo triunfo, ou não estivesse tudo em aberto.

Classificacao ciclismo apos etapa 4