Cuidados de proximidade já incluem hemodiálise no Pico

A Secretária Regional da Saúde afirmou hoje, na inauguração da Unidade de Hemodiálise da Unidade de Saúde de Ilha do Pico, instalada no Centro de Saúde da Madalena, que os Picoenses passam a ter acesso a mais um serviço de saúde “sem que tenham que sair da sua ilha”.

“Valeu a pena, porque os Picoenses têm agora mais um serviço de saúde ao seu dispor, sem que tenham de sair da sua ilha”, afirmou Teresa Machado Luciano, salientando que a nova unidade já conta com uma dezena de utentes.

A titular da pasta da Saúde referiu que a abertura desta Unidade de Hemodiálise representa o cumprimento de um compromisso assumido em 2016 pelo Governo dos Açores, em prol da proximidade de serviços a todos os Açorianos.

Teresa Machado Luciano apontou ainda outras iniciativas que têm concorrido para “aproximar os cuidados de saúde dos Picoenses”, salientando a criação do Serviço de Medicina II no Centro de Saúde da Madalena, bem como a colocação de equipamentos de CTG (cardiotocografia), pelo Hospital da Horta, na Unidade de Saúde de Ilha do Pico, garantindo, desta forma, o acompanhamento das grávidas na sua ilha de residência.

A Secretária Regional da Saúde salientou também as deslocações de médicos especialistas à ilha do Pico, adiantando que se registaram, “nos primeiros nove meses do ano, 2.229 consultas” em diversas especialidades.

A estratégia de melhoria dos cuidados de saúde tem abrangido os três concelhos do Pico, destacou Teresa Machado Luciano, aproximando-se o investimento em infraestruturas e equipamentos nos últimos cinco anos do montante global de 15 milhões de euros.

O investimento tem abrangido também os recursos humanos, com os quadros dos três centros de saúde da ilha a registar mais 50 profissionais, ascendendo agora a 220 trabalhadores.

A Unidade de Hemodiálise do Centro de Saúde da Madalena vem alargar a rede de hemodiálise na Região, que se cingia, até agora, aos três hospitais, para cerca de 200 doentes hemodialisados.

O investimento nas obras de adaptação do espaço e na aquisição de equipamentos, no valor de 165 mil euros, contempla cinco unidades de tratamento, um gabinete médico e instalações técnicas, tendo sido contratados três enfermeiros, dois assistentes operacionais e uma assistente técnica.

Este equipamento vem trazer significativos benefícios aos doentes hemodialisados do Pico, em termos de conforto, segurança e qualidade de cuidados de saúde, que já não precisam de se deslocar ao Faial para realizar os seus tratamentos.

Questionada pelos jornalistas sobre o programa Estagiar L, a Secretária Regional da Saúde afirmou que se trata de “um programa de elevada adesão no Serviço Regional de Saúde, que tem acolhido e vai continuar a acolher profissionais nas várias licenciaturas”.

Teresa Machado Luciano acrescentou, no entanto, que, “devido à elevada empregabilidade dos enfermeiros”, não tem havido muitos candidatos desta área ao programa Estagiar L.

Relativamente ao relatório da Inspeção Regional da Saúde dos Açores sobre a deslocação de doentes entre as ilhas do Pico e do Faial, a Secretária Regional afirmou que a Unidade de Saúde de Ilha do Pico dispõe de 60 dias para implementar as sugestões decorrentes da auditoria, salientando que “a maior parte delas já está implementada”, nomeadamente “regulamentos internos da deslocação de utentes e procedimentos”.