Pub

A Presidente da Câmara Municipal de Lagoa, Cristina Calisto, marcou presença nas X Jornadas Florestais da Macaronésia, que realizam nos dias 15, 16 e 17 no edifício do Nonagon – Parque de Ciência e Tecnologia de São Miguel, na cidade de Lagoa, e alertou para a nova realidade das instalações agrícolas na ilha.

Na sessão de abertura do evento, Cristina Calisto aproveitou a presença do Secretário Regional da Agricultura e do Desenvolvimento Rural, António Ventura, e do Presidente da Federação Agrícola de São Miguel, Jorge Rita, para alertar que estando a maioria dos Municípios a proceder à revisão do Plano Diretor Municipal (PDM) que se “definissem regras uniformes quanto à localização e definição das áreas de implantação para a construção de estábulos, uma vez que começam a surgir pedidos para os quais não temos instrumentos para autorizá-los e, mesmo que venham a existir no futuro, pode-se incorrer em decisões díspares entre municípios”.

“As novas dinâmicas no sector agrícola começam a originar pedidos de licenciamento para os quais seria muito importante consensualizar regras”, disse a autarca.

De referir que, estas Jornadas Florestais da Macaronésia que reúne entidades dos Açores, madeira, Cabo Verde e canárias pretende debater o tema das alterações climáticas e os seus efeitos na floresta, que se poderão fazer sentir ao nível da redução da função protetora do solo, a falta de água para recarga dos aquíferos entre outros assuntos.
Este ano, o tema das Jornadas Florestais da Macaronésia é «Serviços Ecossistémicos da Floresta da Macaronésia», reunindo profissionais públicos e privados da área, com objetivo de debater assuntos ligados à floresta da Macaronésia, nomeadamente sobre planeamento, gestão e proteção das florestas.

Pub