Contas de Ponta Delgada aprovadas em Assembleia Municipal

As contas consolidadas do Município de Ponta Delgada referentes a 2019 foram hoje aprovadas em Assembleia Municipal, tendo o município apresentado, uma vez mais, um resultado positivo.

Segundo a Presidente da Câmara, as contas apresentadas dão um sinal inequívoco de gestão rigorosa e são um indicador de que o grupo autárquico (o Município apresenta no seu perímetro de consolidação as entidades Coliseu Micaelense, Cidade em Ação e SMAS) tem  capacidade de prosseguir com naturalidade e normalidade o seu percurso de desenvolvimento.

Maria José Lemos Duarte adiantou que nos últimos três anos, o total do balanço consolidado tem vindo a diminuir, sendo que, de 2018 para 2019, diminuiu cerca de 3,15%, o que se explica, essencialmente, pela saída da Azores Parque do perímetro de consolidação.

Quanto ao passivo, o grupo autárquico apresenta uma redução do passivo de 12,5 milhões de euros. Passa de 98,8 milhões de euros em 2018 para 86,3 milhões de euros em 2019, numa diminuição de 12,68%.

A redução da dívida bancária de 12,3 milhões de euros tem um peso de 98,8% e resulta, em grande medida, do facto de a Azores Parque já não fazer parte do perímetro de consolidação.

No que respeita à análise dos resultados operacionais, estes são negativos em 437.006,25 euros, apresentando, no entanto, uma evolução positiva de cerca de 96%, pois em 2018 eram negativos em 856.023,66.

O aumento dos proveitos operacionais resulta do aumento da receita de impostos e taxas, do aumento das transferências do orçamento de Estado e do aumento dos trabalhos para a própria empresa e aumento dos proveitos suplementares.

Por outro lado, o aumento dos custos operacionais deve-se ao aumento dos custos com pessoal e ao aumento das provisões para riscos e encargos também eles do Município.

Os resultados correntes apresentam melhorias no desempenho de 2018 para 2019, passando de -669.522,69 euros para -2.744,81 euros.

A variação positiva dos resultados financeiros de 187.500,97 para 434.261,44 resulta da diminuição dos custos financeiros e a variação positiva dos resultados extraordinários de 2.354.507,79 euros para 2.659.251,77 euros deve-se à diminuição da rubrica de outros custos extraordinários dos SMAS.

O resultado líquido do exercício de 2019 do Grupo Autárquico é positivo na ordem dos 2,6 milhões de euros, o que traduz um aumento na ordem dos 0,9 milhões de euros, 58,80% face ao ano anterior.

As entidades que mais contribuíram para o resultado positivo foram os SMAS, com 2,5 milhões, e o Município, com 1,3 milhões de euros.

O mapa de fluxos de caixa apresentava no início do período o valor de cerca de 16 milhões e, no final do ano, cerca de 18 milhões de euros.

Em jeito de conclusão, a  edil afirmou que os indicadores principais, comparando 2019 com 2018, são favoráveis tanto no Balanço, como na Demonstração de Resultados.

As contas consolidadas do Município de Ponta Delgada foram hoje aprovadas com os votos  favor do PSD e do Movimento Santa Clara e com a abstenção do PS e do Bloco de Esquerda.

Na Assembleia Extraordinária que decorreu esta tarde na Coliseu Micaelense também foi submetido a votação o pedido de prorrogação do prazo de liquidação da empresa Cidade em Ação, que foi aprovado  com os votos a favor do PSD e a abstenção do PS, do Bloco de Esquerda e do Movimento Santa Clara.

Recorde-se que esta empresa municipal encontra-se em liquidação e foi dissolvida por deliberação da Assembleia Municipal de 29/06/2017.