Pub

A Itália registou 1.494 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas, uma redução face aos 1.766 de domingo, mas com menos 36.000 testes realizados, segundo os dados divulgados pelo Ministério da Saúde.

As autoridades registaram também 16 mortes, que elevam o número total de óbitos para 35.851 desde o início da emergência sanitária em Itália, em fevereiro, enquanto o número total de contágios é de 311.364.

No total, foram realizados 51.000 testes nas ultimas 24 horas, em contraste com os 84.000 do dia anterior.

Atualmente, as pessoas contagiadas que continuam positivas nos testes são 50.323, com um aumento de 750 face a domingo, e os hospitalizados aumentaram em 130 nas últimas 24 horas, totalizando 2.977, enquanto os pacientes internados em Unidades de Cuidados Intensivos aumentaram em 10 e são agora 264 em todo o país.

O número de pessoas em isolamento domiciliário depois de ter resultado positivo nos testes é de 47.082.

A região que mais infeções registou nas últimas 24 horas foi a Campânia, com 295 novos casos, seguida de Lácio, com 211, e Veneto, com 183.

O Ministro da Saúde italiano, Roberto Speranza, garantiu hoje que é fundamental que o país não baixe a guarda contra o aumento de infeções na Europa e no mundo e que mantenha “a máxima atenção, seriedade e prudência” até que se encontre uma cura.

“Devemos concentrar os nossos esforços no combate ao vírus, apostando na investigação científica para conseguir tratamentos e vacinas eficazes e seguros. Enquanto isso, o que faz a diferença é o comportamento correto de cada um de nós. Ainda precisamos da máxima atenção, seriedade e prudência”, sublinhou.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de um milhão de mortos e mais de 33,1 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Pub