Foto: Fernando Resendes
Pub

No próximo dia 28 de maio, no Teatro Micaelense, o Conservatório Regional de Ponta Delgada apresenta a ópera “Dido e Eneias”, de Henry Purcell, numa encenação de Helena Castro Ferreira, com direção musical de Amâncio Cabral.

Dido and Aeneas é uma obra-prima do Barroco seiscentista e é considerada uma das mais emblemáticas óperas inglesas de todos os tempos.

“Dido e Eneias” nasce no seio da tradição das masques inglesas – espetáculos de carácter alegórico que incluíam dança e cenários exuberantes -, unindo elementos característicos da herança inglesa com influências da ópera italiana e da música francesa.

As datas de composição e estreia da ópera são incertas: sabe-se que foi composta até julho de 1688 e que foi apresentada por alunas da escola feminina de Josias Priest, em Chelsea, Londres, no final de 1689. A sua primeira apresentação num teatro aconteceu após a morte de Purcell, em 1700, no Lincoln Inn’s Field Theatre, em Londres.

O libreto, da autoria do poeta irlandês Nahum Tate, é livremente baseado num episódio do livro IV da Eneida de Vergílio, relatando a breve e trágica história de amor entre a rainha de Cartago, Dido, e o príncipe troiano Eneias.

Chegado a Cartago, depois do saque de Tróia pelos gregos, e a caminho do seu destino como fundador de Roma, Eneias é recebido friamente pela viúva Dido, que receia tornar-se vulnerável.

Atormentada pela paixão, Dido, aconselhada por sua irmã Belinda a corresponder ao troiano, para seu bem e bem do seu reino, acaba por ceder ao amor.

No entanto, devido a um astuto plano de uma poderosa feiticeira e das suas bruxas, Eneias é levado a crer que os deuses lhe ordenam que parta.

O casal separa-se e Dido, sentindo-se abandonada, despede-se da vida numa das árias mais famosas do repertório operático – When I am laid in Earth, o famoso lamento de Dido.

Pub