PUB

O Presidente da Câmara da Povoação, Pedro Melo, afirmou no XV Encontro Nacional de Riscos, que decorreu no Auditório Municipal da sede de concelho, que“em resultado das ocorrências registadas ao longo dos anos, é notória e necessária uma maior sensibilidade, por um lado, pela comunidade científica, ao desenvolver e a aprofundar a sua investigação neste domínio, mas por outro, pelas entidades responsáveis pela gestão do território e da Proteção Civil, numa perspetiva de política preventiva”.

“Riscos de Movimentos em Vertentes: Aprender com o Passado” foi o nome deste acontecimento que serviu para assinalar os 25 anos da Catástrofe, de 31 de outubro, na Ribeira Quente. O encontro, que terminou com um balanço extremamente positivo equeaconteceu pela primeira vez no arquipélago dos Açores,contou com 170 participantes, Investigadores e Docentes de algumas Instituições do Ensino Superior do país; Dirigentes e Técnicos centrais e regionais de vários organismos públicos, privados e Agentes de Proteção Civil.

O objetivo do XV Encontro Nacional de Riscos visou a discussão em torno dos processos naturais responsáveis pela ocorrência dos riscos geomorfológicos, nomeadamente os associados aos movimentos em vertentes, e dos efeitos que estes causam sobre a sociedade, procurando retirar alguns ensinamentos dos diversos acontecimentos nefastos que têm ocorrido ao longo do tempo. A catástrofe de Ribeira Quente é um desses eventos, ainda muito presente na memória local coletiva, causadora de grande destruição e, acima de tudo, da perda de insubstituíveis vidas humanas.

PUB

Com este encontro pretendeu-se colocar não só a comunidade científica, mas também e sobretudo os agentes de proteção civil, os órgãos de soberania regionais/locais, os professores e a população em geral, a refletir sobre o que fazer em caso de catástrofes provocadas por movimentos em vertentes, aprendendo com o passado para melhorar o presente e o futuro, tomando consciência de que, cada dia que passa, estamos mais próximos de um evento devastador. Neste encontro foi discutida a forma como a sociedade encara estes fenómenos naturais e, ao mesmo tempo, tentou-se perceber se esta estará melhor informada e preparada para os enfrentar do que estava no passado.

O XV Encontro Nacional de Riscos foi organizado pela Associação Portuguesa de Riscos, Prevenção e Segurança da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra em parceria com a Câmara Municipal da Povoação, Proteção Civil e Bombeiros dos Açores e Governo dos Açores – Secretaria Regional do Ambiente e Alterações Climáticas.

Pub