Pub

A comissária europeia para a Coesão e Reformas, Elisa Ferreira, enalteceu hoje a trajetória “muito inteligente” dos Açores, que se afirmaram internacionalmente pela sustentabilidade, realçando o potencial do arquipélago no setor aeroespacial e na investigação do mar.

“Os Açores têm uma trajetória muito inteligente porque, muito cedo, colocaram a sustentabilidade como um fator essencial de afirmação internacional e de afirmação também da vertente turística que é mais conhecida a cada dia”, afirmou.

 

Elisa Ferreira falava aos jornalistas em Bruxelas após uma reunião com o presidente do Governo dos Açores (PSD/CDS-PP/PPM), José Manuel Bolieiro, em Bruxelas.

A comissária europeia destacou o potencial dos Açores no “desenvolvimento da ciência” nas áreas aeroespacial, na investigação dos oceanos, na biodiversidade e na geotermia.

“Temos a noção de que, em Portugal em geral e no caso dos Açores e da Madeira, das regiões ultraperiféricas portuguesas, os apoios [europeus] fazem sentido. Vê-se que há uma estratégia de desenvolvimento que é sustentada”, vincou.

Elisa Ferreira lembrou a importância da política de coesão para a União Europeia, defendendo que as regiões com “fragilidades geográficas naturais” têm de ser “compensadas”.

“A Europa, como todas as cadeias, é tão forte quanto forte for o seu elo mais fraco. Nós não queremos que as regiões ultraperiféricas sejam o elo fraco”, assinalou.

Já o presidente do Governo dos Açores reiterou a importância de existir um Programa de Opções Específicas para fazer face ao Afastamento e à Insularidade (POSEI) para os transportes e defendeu a extinção da taxa de carbono em viagens aéreas para o arquipélago açoriano.

Bolieiro reforçou a importância dos Açores para o “prestígio mundial” da União Europeia, devido ao potencial da “economia azul” e da “política ligada ao Espaço”.

O líder do executivo açoriano elogiou ainda Elisa Ferreira, “a comissária europeia que melhor entende a Europa no quadro da sua diversidade” e que é “verdadeiramente solidária com a situação das regiões ultraperiféricas”.

José Manuel Bolieiro também se reuniu ao final do dia de terça-feira com a presidente do Parlamento Europeu, Roberta Metsola.

Segundo disse, o encontro serviu para sensibilizar o Parlamento Europeu para a “nova estratégia das regiões ultraperiféricas”, numa altura em que, “pela primeira vez nos últimos anos, os Açores não têm nenhum” eurodeputado.

Através de uma “sedução honesta”, o social-democrata revelou ter convidado Metsola a visitar o arquipélago.

Na terça-feira, os presidentes das regiões ultraperiféricas da União Europeia advertiram que as crises sucessivas dos últimos três anos estão a retardar o processo de convergência com o resto da Europa e reclamaram medidas específicas.

 De acordo com os responsáveis das regiões, “as medidas excecionais permitiram mitigar os efeitos, mas não foram suficientes para garantir que as ultraperiféricas recuperassem os níveis, já de si preocupantes, em que se encontravam antes da crise”.

Pub