Foto: Paulino Pavão
PUB

Os representantes das Câmaras do Comércio e Indústria dos Açores têm expectativas positivas em relação às vendas na quadra natalícia, embora admitam que os consumidores possam eleger prioridades devido à crise inflacionista, foi hoje revelado.

“Já estamos fora da pandemia. Os ânimos estão positivos, mesmo que apreensivos com a inflação. A nossa expectativa é que esta quadra vai ser, mais uma vez, uma época grande de compras das famílias açorianas”, afirmou o presidente da Câmara do Comércio e Indústria de Ponta Delgada (CCIPD), Mário Fortuna, em declarações à agência Lusa.

O presidente da associação empresarial das ilhas de São Miguel e Santa Maria sublinhou que as compras de Natal deste ano “vão estar enquadradas no mesmo perfil de consumo que tem sido habitual” em anos anteriores.

PUB

“As pessoas concentram muitas das suas compras no Natal. É um momento de oferta e de convívio familiar. É, portanto, um momento de maiores despesas. E este ano não deverá ser exceção comparativamente com anos anteriores”, assinalou Mário Fortuna.

Ainda assim, o responsável admitiu que haverá “alguma contenção no consumo”, devido ao aumento dos preços.

“Aliás, as famílias já sentem o impacto do aumento dos preços nas despesas diárias. Mas, estamos convencidos de que ainda estamos numa onda positiva e que esta época natalícia há de ser também uma época de consumo relativamente elevado”, acrescentou.

A CCIPD, com o apoio do Governo dos Açores, lançou uma campanha de dinamização do comércio dos centros urbanos de São Miguel e de Santa Maria, tendo como tema ‘Neste Natal valorize o que é nosso. Compre no nosso comércio’.

Segundo Mário Fortuna, a campanha visa incentivar as compras nos pequenos estabelecimentos comerciais dos centros urbanos de São Miguel e de Santa Maria, e sensibilizar os consumidores para a aquisição de “produtos de proximidade que acrescentem maior valor” à economia regional.

“Se me perguntarem entre compras por via digital ou compras locais, sugeria compras locais sempre que possível”, sublinhou.

A Câmara do Comércio de Angra do Heroísmo, que tem a sua área de intervenção nas ilhas Terceira, São Jorge e Graciosa, destacou também existir “alguma expectativa positiva”, apesar do contexto económico atual.

“A Câmara do Comércio de Angra do Heroísmo preparou várias iniciativas para a época natalícia e espera-se igualar os números de anos anteriores no que diz respeito ao volume de vendas”, avançou à Lusa Marcos Couto, presidente da associação empresarial com sede na ilha Terceira.

No entanto, e segundo o responsável, esta é uma expectativa com “fortes condicionantes” pelo período atual com o aumento dos preços, a subida da inflação e das taxas de juros, pelo que “ainda não há a noção concreta do impacto que a crise poderá ter neste natal”.

“Vamos acreditar que tudo correrá pelo melhor, mas temos de ter consciência de que os tempos não são propriamente fáceis”, frisou Marcos Couto.

O presidente da Câmara do Comércio e Indústria da Horta, Francisco José Rosa referiu que as expectativas “são boas” para a quadra de Natal.

“Estamos otimistas. Neste momento ainda existe margem para algum consumo, mas as previsões para o próximo ano são um pouco incontroláveis”, salientou à Lusa.

Segundo o dirigente da Câmara do Comércio e Indústria da Horta, por esta altura do ano de quadra festiva de Natal e passagem de ano “os comerciantes e a parte económica são sempre muito otimistas”.

O responsável reconhece que os consumidores “vão ter de eleger prioridades”, devido ao aumento dos preços e à subida das taxas de juros.

A instituição desenvolveu, em parceria com a Câmara Municipal da Horta várias ações para incentivar as compras nos estabelecimentos comerciais tradicionais, entre elas a reedição de um concurso no comércio tradicional com sorteios de prémios, indicou.

Pub