Pub

A colocação de jovens nos Açores no âmbito do programa OTL-J bateu este ano (79%) o recorde desde 2015, que foi de 68%, anunciou hoje a secretária regional da Juventude, Qualificação Profissional e Emprego.

Segundo a titular da pasta da Juventude, Maria João Carreiro, a edição deste ano “fica marcada pelo aumento da taxa de colocação de jovens”, sendo que no conjunto das nove ilhas, foram colocados 2.189 dos jovens inscritos (86%), quando em 2019 foram colocados 79% dos inscritos, o que “representa uma taxa de colocação recorde desde 2015, que foi de 68%”.

O OTL-J é um programa de ocupação de tempos livres para os jovens das diferentes ilhas dos Açores.

Maria João Carreiro falava na Madalena, na ilha do Pico, durante a festa de encerramento do OTL-J 2022, promovida através da Direção Regional da Juventude (DRJ), e que juntou cerca de 40 jovens e responsáveis das entidades da ilha que integram o programa para “celebrar a importância do OTL para a ocupação dos tempos livres e a capacitação dos jovens”.

Citada em nota de imprensa, a governante referiu que este ano foram aprovados 1.205 projetos, apresentados por 800 entidades promotoras, “resultado não só da disponibilidade das entidades para dinamizar o programa, como também do acompanhamento individualizado dos serviços da Direção Regional da Juventude às entidades, no sentido de as apoiar numa ainda maior adequação dos projetos às opções dos jovens inscritos”.

Maria João Carreiro referiu que, a partir de 2023, as entidades promotoras de projetos no âmbito do programa OTL-J vão poder beneficiar de uma oficina de formação certificada.

Segundo Maria João Carreiro, “esta oficina irá incidir sobre um plano formativo com conteúdos nas áreas da criação e gestão de projetos de educação não formal e de desenvolvimento de competências sociais, com vista a uma cada vez maior adequação dos projetos aos objetivos do programa e aos interesses e expectativas dos jovens”.

Segundo Maria João Carreiro, a edição deste ano “fica marcada pelo aumento da taxa de colocação de jovens”, sendo que, no conjunto das nove ilhas, foram colocados 2.189 jovens, isto é, 86% dos jovens inscritos, quando em 2019 foram colocados 79% dos inscritos, o que representa uma taxa de colocação recorde desde 2015 (que foi de 68%).

Este ano foram aprovados 1.205 projetos, apresentados por 800 entidades promotoras, “resultado não só da disponibilidade das entidades para dinamizar o programa, como também do acompanhamento individualizado dos serviços da Direção Regional da Juventude às entidades, no sentido de as apoiar numa ainda maior adequação dos projetos às opções dos jovens inscritos”.

“O OTL-J é um investimento dos jovens na sua valorização. A este investimento, temos de responder com oportunidades de qualificação e capacitação que façam, efetivamente, a diferença, porque o OTL-J existe para acrescentar valor ao percurso dos jovens, preparando-os e motivando-os, inclusive, para a definição do seu trajeto e percurso de vida”, afirmou.

O Governo dos Açores investiu, este ano, cerca de 400 mil euros no OTL-J, numa edição que “mobilizou, integrou e ocupou jovens de todas as ilhas” do arquipélago.

Pub