Chico Buarque é o vencedor do Prémio Camões 2019

O músico e escritor Chico Buarque é o vencedor do Prémio Camões 2019, foi hoje anunciado, após reunião do júri, na Biblioteca Nacional do Brasil, no Rio de Janeiro.

O Prémio Camões de literatura em língua portuguesa foi instituído por Portugal e pelo Brasil em 1988, com o objetivo de distinguir um autor “cuja obra contribua para a projeção e reconhecimento do património literário e cultural da língua comum”.

Foi atribuído pela primeira vez, em 1989, ao escritor Miguel Torga. Em 2018 o prémio distinguiu o escritor cabo-verdiano Germano Almeida, autor de “A ilha fantástica”, “Os dois irmãos” e “O testamento do Sr. Napumoceno da Silva Araújo”, entre outras obras.

Júri destaca papel de Chico Buarque na “formação cultural de gerações”

O júri do Prémio Camões 2019 afirmou hoje à imprensa brasileira que a contribuição do músico e escritor Chico Buarque “para a formação cultural de diferentes gerações” foi um dos motivos que levou à sua distinção.

Num comunicado publicado pelo jornal Folha de São Paulo, o júri declarou que escolheu Chico Buarque tanto pela qualidade da sua obra, quanto pela sua “contribuição para a formação cultural de diferentes gerações em todos os países onde se fala a língua portuguesa”, tendo destacado ainda o “caráter multifacetado” do seu trabalho, que passa pela poesia, o teatro e o romance.

“O seu trabalho atravessou fronteiras e mantém-se como uma referência fundamental da cultura do mundo contemporâneo”, afirmaram os jurados.

Ministra portuguesa da Cultura felicita Chico Buarque

A ministra portuguesa da Cultura, Graça Fonseca, felicitou o músico e escritor Chico Buarque, anunciado hoje como vencedor do Prémio Camões 2019, após reunião do júri, na Biblioteca Nacional do Brasil, no Rio de Janeiro.

“Chico Buarque é o vencedor do Prémio Camões 2019. A decisão foi tomada esta tarde pelo júri da 31.ª edição do prémio, no Rio de Janeiro. Esta é a distinção de maior prestígio da Língua Portuguesa. Parabéns!”, publicou a ministra na sua página pessoal da rede social Twitter.

Chico Buarque fora já distinguido duas vezes com o prémio Jabuti, o mais importante prémio literário no Brasil, pelo romance “Leite Derramado”, em 2010, obra com que também venceu o antigo Prémio Portugal Telecom de Literatura, e por “Budapeste”, em 2006.

Companhia das Letras diz que houve “justiça” na atribuição a Chico Buarque

A Companhia das Letras, maior editora do Brasil, afirmou hoje à agência Lusa que houve “justiça” na atribuição do Prémio Camões 2019 ao músico e escritor brasileiro Chico Buarque, uma escolha que considerou “sábia” por parte dos jurados.

“O Prémio Camões sabiamente julga qualidade e não quantidade. Dessa forma, soube premiar no passado, com toda a justiça, Raduan Nassar e agora Chico Buarque. São autores afins, que trabalham horas a fio cada frase que um dia virá a ser impressa. O prémio deste ano vai para cinco romances magistrais da língua portuguesa e para um artista que usa em vários campos (música, teatro e literatura) a liberdade para a melhor arte e vice-versa”, argumentou Luiz Schwarcz, CEO da Companhia das Letras, em declarações enviadas à Lusa, também publicadas na rede social Twitter.

O músico e escritor Chico Buarque é o vencedor do Prémio Camões 2019, foi hoje anunciado, após reunião do júri, na Biblioteca Nacional do Brasil, no Rio de Janeiro.