No encontro disputado em Chaves, para a 2.ª jornada do Grupo D, a equipa da casa foi superior aos açorianos, do principal escalão, e que somaram a segunda derrota, após o desaire na jornada inaugural frente ao FC Porto e já estão matematicamente afastados da prova, onde apenas o primeiro classificado dos quatro grupos se apuram para a ‘final four’.

O emblema ‘azul grená’, que venceu graças a um golo de grande penalidade transformado por Wagner, aos 51 minutos, fez a primeira partida na fase de grupos depois de ter adiado o encontro com o Casa Pia, também do segundo escalão, a contar para a 1.ª jornada.

Os primeiros 20 minutos não tiveram motivos de interesse, com as duas equipas a abusarem do futebol direto e a sentirem dificuldades em ter a bola.

Os transmontanos foram os primeiros a subirem de rendimento, já com um futebol mais ligado entre os setores, mas as tentativas de golo não levaram perigo para a baliza do guarda-redes do Santa Clara, João Lopes, em estreia esta época.

O cabeceamento, aos 21 minutos, e o remate (30) de Jefferson, e o cabeceamento ao lado de Platiny (40) foram os únicos lances de relativo perigo.

Sem justificarem, e através de uma bola parada, os visitantes tiveram uma soberana ocasião para se adiantarem no marcador já em período de compensação. Após Jefferson tocar com o braço na bola na grande área, o árbitro André Narciso assinalou castigo máximo, mas Rashid permitiu a defesa de Ricardo Moura.

O segundo tempo começou praticamente com mais uma grande penalidade, agora a favor dos flavienses, com a defensiva do Santa Clara a abordar mal um lance na sua área e Ukra a fazer falta sobre João Correia. O avançado Wagner, na transformação, abriu o marcador.

Com um ‘onze’ diferente do que costuma apresentar no campeonato, o técnico João Henriques procurou dar mais soluções à sua equipa e lançou Lincoln, Pablo Lima e Stephens no decorrer da segunda parte.

Nos últimos 20 minutos a formação insular mostrou maior capacidade ofensiva e jogou mais perto da área contrária, sem conseguir criar perigo, ‘assustando’ apenas em lances de bola parada.

Antes do encontro, o antigo avançado do Desportivo de Chaves e Santa Clara, Paulo Clemente, e atual diretor dos açorianos, foi homenageado pelo conjunto de Trás-os-Montes, que representou por três temporadas, recebendo uma placa e uma camisola, entregues diretor geral da SAD, Óscar Santos.