Centenário do pintor Açoriano Victor Câmara celebrado no Teatro Micaelense

A Fundação Sousa d´Oliveira e o Teatro Micaelense celebram, no dia 19 de outubro, o centenário do nascimento do pintor açoriano Victor Câmara.

A comemoração, que decorrerá no Salão Nobre do Teatro às 18:30 horas, inclui uma exposição retrospetiva da sua pintura, com alguns quadros inéditos, a projeção do excerto de um programa televisivo sobre o pintor e uma palestra sobre a sua vida e obra, pelo Professor Eduíno de Jesus.

A exposição retrospetiva estará aberta ao público entre os próximos dias 19 e 24 de outubro na Sala Natália Correia, no Teatro Micaelense.

Este evento é apoiado pela RTP/Açores e pelo Conservatório Regional de Ponta Delgada.

Pub

Victor Câmara nasceu em Ponta Delgada, a 19 de outubro de 1921. A sua pintura, figurativa, é essencialmente naturalista, se bem que tenha feito algumas incursões pelo surrealismo, patente nas suas “Descobertas das Ilhas”.

Nos anos 80 e 90 do século XX, ensaia também fugas ao figurativismo, mas sem atingir o abstracionismo, das quais resultaram trabalhos de enorme expressão cromática e de grande vigor, como os “Festões” e as “melancias estouradas” ou as “Procissões”.

Em 1965, Victor Câmara radicou-se em Paço d´Arcos, onde continuou a pintar os Açores, a par de alguma paisagem marinha da costa de Cascais. Retratou figuras do antigo regime e do atual, como Salazar, Rebelo de Sousa, Cavaco Silva e sua mulher, entre outros. Expôs por duas vezes no Museu de Angra do Heroísmo e outras tantas no de Ponta Delgada, que contam com obras suas nos seus acervos.

A Câmara Municipal de Ponta Delgada concedeu-lhe o Diploma de Cidadão de Mérito e atribuiu o seu nome a uma rua da cidade e a Câmara Municipal de Oeiras atribuiu-lhe a Medalha de Mérito Ouro.

Faleceu em Paço d´Arcos, em 1998.

Pub