Pub

“Quem cumpre os requisitos, usufrui do apoio. Quem não cumpre, vê a sua situação revista e corrigida. O XIII Governo Regional assumiu uma postura responsável no que respeita ao RSI: fez o seu papel ao reforçar a fiscalização”, considerou o deputado Rui Martins, acrescentando que “tudo o que sejam alterações de fundo à atribuição deste rendimento terão que ser feitas na Assembleia da República”.

O deputado do CDS-PP defendeu, “sem qualquer preconceito ou dogma ideológico”, que “os apoios sociais devem ser aplicados e devem estar acessíveis a quem deles necessita.”

“O CDS-PP é um partido da direita responsável e moderada”, frisou. “Queremos ajudar todas as pessoas que efetivamente dela necessitam e, sobretudo, dar ferramentas para que as pessoas consigam sair de uma situação de pobreza e de exclusão.”

“O Governo de coligação PSD/CDS-PP/PPM, num ano, assumiu políticas ativas contra a pobreza, políticas socialmente responsáveis e profundamente humanistas: promoveu a isenção do pagamento das creches, com vista a pôr termo à desigualdade que começa no berço, apoiou os mais desfavorecidos no ingresso e permanência no Ensino Superior, aumentou o Complemento Regional de Pensão, simplificou o COMPAMID, aumentou o Complemento Açoriano ao Abono de Família”, exemplificou Rui Martins.

O deputado regional saudou o Governo de coligação PSD/CDS-PP/PPM pela renovação de políticas, que “ao invés de acentuar a dependência face aos apoios públicos, aposta no incentivo à emancipação das pessoas pela via da qualificação e da educação”.

“Ninguém dá lições ao CDS-PP no que concerne o combate à pobreza”, declarou Rui Martins, que recordou que “o CDS-PP tem trabalho feito” e garantiu “continuar nesta linha humanista e personalista, priorizando a família e os membros mais desprotegidos da nossa sociedade”.

Pub