Pub

Numa nota de imprensa, o deputado Pedro Pinto, do grupo parlamentar do CDS-PP/Açores, considerou “incompreensível” que o Governo Regional (PSD/CDS-PP/PPM) tenha anunciado um rastreio a alunos com testes de saliva, quando a Assembleia Legislativa Regional aprovou, e o executivo “executou”, a aquisição de 250 mil testes de antigénio.

“Tendo o parlamento aprovado, e o governo executado, a recomendação de aquisição dos 250.000 testes de antigénio, a testagem deve ser massiva em toda a região, abrangendo todos os alunos do 1.º e 2.º ciclos, mas também os alunos entre os 12 e 15 anos que não estejam vacinados”, sustenta o deputado.

Para Pedro Pinto, “é incompreensível que o anúncio recente do Governo Regional faça referência a testes de saliva com uma sensibilidade inferior à dos testes de antigénio”.

O deputado refere que estes testes “permitem a deteção rápida de casos de covid-19, podendo assim constituir uma ferramenta decisiva para conter a propagação do vírus”.

Pub

Os testes de saliva têm, disse, “uma sensibilidade inferior à dos testes de antigénio”.

A Secretaria Regional da Saúde revelou na terça-feira que cerca de 12 mil alunos dos 1.º e 2.º ciclos das ilhas de São Miguel e da Terceira começam na quinta-feira a ser alvo de rastreios à covid-19 através de testes de saliva.

Em comunicado, a tutela indicou que “a anunciada testagem em massa nas escolas dos 1.º e 2.º ciclos” arranca na quinta-feira e, na ilha de São Miguel, onde são cerca de oito mil os estudantes a testar, decorre “previsivelmente até final de outubro”.

“Serão usados teste de saliva, não sendo a testagem obrigatória, mas os encarregados de educação que não autorizarem que os seus filhos sejam testados terão de manifestar essa intenção junto das escolas”, referia a nota de imprensa da Secretaria Regional de Saúde.

Para Pedro Pinto, “deverá proceder-se, no início deste ano letivo, a uma testagem massiva, com testes de antigénio, a todos os alunos do 1.º e 2.º ciclo, bem como àqueles entre os 12 e os 15 anos que não se encontrem vacinados contra a covid-19, em todas as escolas da região”.

“A tomada de posição vem na sequência daquela que tem sido a postura do CDS-PP na defesa da testagem em massa das populações”, declarou o deputado.

Recorde-se que foi aprovada por unanimidade, em janeiro de 2021, uma iniciativa do grupo parlamentar do CDS-PP no parlamento açoriano que recomenda ao Governo Regional a aquisição de 250 mil Testes Rápidos de Antigénio, acrescenta a nota de imprensa.

O secretário regional da Saúde, Clélio Meneses, revelou em 06 de setembro que os Açores iam fazer testes de despiste do SARS-CoV-2 apenas aos alunos das ilhas Terceira e São Miguel, onde já foi declarada transmissão comunitária.

Pub