CDS-PP/Açores inquere condições de acesso à Saúde no Hospital de Santo Espírito da Ilha Terceira

O Presidente do Grupo Parlamentar do CDS-PP/Açores, Artur Lima, considera preocupante que tenha sido imposta a familiar de utente, em regime de internamento no Hospital de Santo Espírito na Ilha Terceira, a aquisição em farmácia externa de medicação prescrita em resultado de episódio clínico ocorrido em ambiente hospitalar, conforme noticiado na edição de 11 de janeiro do jornal Diário Insular.

A fim de averiguar os procedimentos de resposta à prescrição médica efetuada no âmbito de ocorrência clínica em ambiente hospitalar, o líder democrata-cristão dirigiu,sob a forma de requerimento entregue esta segunda-feira na Assembleia Legislativa,uma série de perguntas ao Governo Regional,poiscompete à Secretaria Regional da Saúde regulamentar, orientar, planear, avaliar e inspecionar o funcionamento do Sistema Regional de Saúde, do qual se espera que promova e proteja o acesso a cuidados de saúde dos indivíduos, das famílias e da comunidade.

Artur Lima inquiriu, especificamente, quais os procedimentos a efetuar pela Comissão de Farmácia Hospitalar em caso de prescrição medicamentosa não compreendida no formulário hospitalar, e se o procedimento efetuado no caso da situação divulgada em jornal, obrigando o utente a adquirir a medicação prescrita, é o correto no âmbito da prestação de cuidados no Sistema Regional de Saúde.

O Presidente do Grupo Parlamentar do CDS-PP/Açores teme que se venha a concluir que um utente do Sistema Regional de Saúde, não tendo meios financeiros imediatos para a aquisição de medicamentos prescritos, seja privado de medicação conveniente em pleno contexto hospitalar.