Pub

O CDS/Faial exige a reabilitação “urgente” da estrada do mato que liga a Casa da Batata à Ribeira Funda e acusa o Governo Regional de “negligência para com esta via transversal da ilha do Faial”.

O CDS/Faial exige a reabilitação “urgente” da estrada do mato que liga a Casa da Batata à Ribeira Funda e acusa o Governo Regional de “negligência para com esta via transversal da ilha do Faial”.

Em nota de imprensa, o cabeça de lista do CDS pelo Faial às eleições regionais de 25 de outubro, Rui Martins, defendeu que “é urgente reabilitar, no decorrer da próxima legislatura, a estrada do mato que liga a Casa da Batata à Ribeira Funda”.

Para o candidato, “é incompreensível a negligência do Governo Regional para com esta via transversal da ilha do Faial, que diminui para metade o tempo despendido nas ligações entre o lado norte da ilha e a cidade da Horta, além de servir muitos outros propósitos”.

Rui Martins salientou que esta via “permite um acesso a explorações das freguesias dos Cedros, Salão, Ribeirinha, Pedro Miguel e Praia do Almoxarife”, acrescentando que “é impossível que os empresários possam rentabilizar as suas explorações com acessos deteriorados, que aumentam o tempo das deslocações e destroem as suas carrinhas”.

“Não há agricultura sem acessos”, sentenciou.

A requalificação “permite também que quem venha, por exemplo, dos Cedros [freguesia no norte da ilha] para o aeroporto, não tenha de atravessar a cidade, o que teria por impacto positivo a redução do tráfego em zona urbana”.

Esta estrada tem ainda interesse turístico, defendeu o centrista, já que “é também um acesso ao coração da ilha, que permite aos faialenses e aos visitantes aceder com conforto ao parque do Cabouco ou desfrutas das paisagens interiores da ilha”.

As próximas eleições para o parlamento açoriano decorrem em 25 de outubro.

Nas anteriores legislativas açorianas, em 2016, o PS venceu com 46,4% dos votos, o que se traduziu em 30 mandatos no parlamento regional, contra 30,89% do segundo partido mais votado, o PSD, com 19 mandatos, e 7,1% do CDS-PP (quatro mandatos).

O BE, com 3,6%, obteve dois mandatos, a coligação PCP/PEV, com 2,6%, um, e o PPM, com 0,93% dos votos expressos, também um.

O PS governa a região há 24 anos, tendo sido antecedido pelo PSD, que liderou o executivo regional entre 1976 e 1996.

Pub