Carla Dâmaso eleita nova diretora do Observatório do Mar dos Açores

Carla Dâmaso, diretora do Observatório do Mar dos Açores

A nova direção foi eleita no passado dia 15 de fevereiro.

Foi eleita em assembleia geral realizada na passada sexta-feira, 15 de fevereiro, a nova direção do Observatório do Mar dos Açores (OMA), entidade integrante da Rede de Centros de Ciência dos Açores e gestora da Fábrica da Baleia de Porto Pim. A nova direção é presidida por Carla Dâmaso, tem como vice-presidente Márcia Dutra, como tesoureiro José Bettencourt e foi eleita por unanimidade.

Carla Dâmaso, que tem exercido funções de coordenação, educação e divulgação no OMA, fez uma descrição do trabalho desenvolvido pela associação, no que respeita às atividades de educação e comunicação da cultura científica marinha e a criação de conteúdos museográficos da recentemente inaugurada Fábrica da Baleia. Com uma nova e especializada equipa a trabalhar em instalações remodeladas, a diretora considera estarem reunidas boas condições para o cumprimento da missão do OMA durante o próximo mandato.

O OMA é uma Associação Técnica, Científica e Cultural, sem fins lucrativos, criada em 2002 por 23 sócios fundadores ligados ao Departamento de Oceanografia e Pescas da Universidade dos Açores.

OMA Fábrica da Baleia | Foto: PHS_SIARAM

Em 2004, fixou a sua sede na Fábrica da Baleia de Porto Pim, cidade da Horta, em regime de comodato, por protocolo com o Governo Regional dos Açores. O OMA tem estatuto de Instituição Equiparada a Organização Não-Governamental de Ambiente (ONGA), certificado pela Agência Portuguesa do Ambiente. Em Março de 2010 foi considerada pelo Governo dos Açores como Instituição de Utilidade Pública.

À semelhança de outros observatórios regionais, o OMA inseriu-se inicialmente na Rede de Organizações Científicas dos Açores (ROCA), criada ao abrigo do Programa do Governo. Atualmente, faz parte da Rede Regional de Centros de Ciência, promovida pela Secretaria Regional do Mar, Ciência e Tecnologia (SRMCT), que inclui os outros observatórios e instituições congéneres, que têm objetivos sectoriais complementares, no âmbito da divulgação científica e tecnológica.

O OMA tem como objetivos a divulgação da cultura científica e tecnológica e a promoção de atividades de interpretação e educação ambiental, no âmbito das Ciências do Mar.