Pub

A segunda edição do programa de microfinanciamento de projetos “Mão em Mão”, promovida pela candidatura de Ponta Delgada a Capital Europeia da Cultura, selecionou nove projetos que concretizam “ideias inspiradoras para as comunidades locais”, foi hoje anunciado.

Segundo o gabinete de comunicação da candidatura de Ponta Delgada-Azores 2027, a segunda edição do programa de microfinanciamento de projetos “Mão em Mão” recebeu “35 submissões, das quais cinco foram excluídas por não cumprirem o regulamento”.

O programa de microfinanciamento “Mão em Mão”, promovido em parceria com a Cresaçor apoia em 1.500 euros nove ideias inspiradoras para as comunidades locais com ativação nas áreas social, cultural e educativa.

Em 2021, foram selecionadas nove propostas oriundas de São Miguel, Faial, Terceira, Corvo e Holanda.

“Este ano, há novamente projetos que vêm de São Miguel, Terceira, Faial e Corvo, bem como do Pico e da Graciosa, mas há iniciativas que chegam a todas as ilhas dos Açores”, segundo a candidatura.

Cada proposta terá um apoio de 1.500 euros e deverá ser concretizada até 31 de dezembro de 2022.

Entre as propostas selecionadas está uma iniciativa que “visa potenciar o uso sustentável e socialmente inclusivo” da bananeira regional, através de um processo de investigação e registo, que dará origem a um livro.

Há também um projeto de criação de uma micro ludoteca, itinerante e portátil para crianças, entre os 03 e os 12 anos, que vivem nas nove ilhas dos Açores” e um “pequeno espetáculo itinerante a partir de músicas tradicionais das ilhas dos Açores, onde os intérpretes utilizarão diferentes tipos de máscaras”, um projeto que faz parte da recuperação do Cine-Teatro Açor das Capelas, em São Miguel.

Outra proposta é uma iniciativa que pretende “compilar um arquivo sonoro informal”, com posterior partilha numa página ‘online’.

Segundo o gabinete de comunicação da candidatura de Ponta Delgada-Azores 2027, foi também selecionado um projeto que consiste “na recolha de histórias dos mais antigos e mais recentes habitantes de cada uma das ilhas dos Açores e que serão partilhadas num website e poderão vir a ser editadas”.

Formações rápidas de construção de mobiliários para principiantes, na Terceira, ou ainda um cineclube temporário, em Santana, no Pico, que acolhe “uma comunidade de várias gerações de cabo-verdianos e seus descendentes”, são outras das iniciativas dos projetos selecionados, segundo foi revelado.

Foi também selecionado um projeto que permite “uma experiência 3D” para “sítios de relevância cultural de difícil acesso a algumas partes da população, como crianças ou idosos, como é o caso da Furna do Enxofre, na Graciosa”, adiantou ainda a candidatura.

Pub