As Festas do Senhor Santo Cristo, que este ano decorrem entre 24 e 30 de maio, atraem a São Miguel milhares de peregrinos de todas as ilhas dos Açores e ainda de vários pontos do país e das comunidades de emigrantes.

Na assinatura do protocolo, o presidente da Câmara Municipal de Ponta Delgada sublinhou ser “um momento simbólico”, frisando “o grande esforço” da irmandade na organização das Festas do Senhor Santo Cristo dos Milagres, destacando ainda o relacionamento entre a câmara e a irmandade para a realização dos festejos.

“Não é apenas uma festa na cidade, mas a festa da cidade, razão pela qual também o feriado municipal coincide com esta festa, daí a importância histórica e cultural que o município e o seu povo dão às grandes Festas do Senhor Santo Cristo dos Milagres”, salientou José Manuel Bolieiro, após a assinatura do protocolo, que contempla ainda a concessão do direito de terrado na área tradicional das festas, nomeadamente no Campo de São Francisco.

O autarca realçou que, apesar de se tratar de uma festividade em Ponta Delgada, a festa “projeta também no exterior a ilha de São Miguel e os Açores”, inclusive do ponto de vista da religiosidade, “porque é a segunda maior festa religiosa a seguir a Fátima”.

“E isso honra muito Ponta Delgada e a cidade”, disse o autarca, realçando que a autarquia tem aumentado anualmente o apoio financeiro para as festas, além de disponibilizar apoio logístico.

O provedor da Irmandade do Santo Cristo, Carlos Faria e Maia, congratulou-se com o apoio da autarquia, que salientou ser “imprescindível”.

“Este subsídio é muito bem-vindo e é imprescindível para as nossas festas, atendendo a que todos os anos os investimentos são cada vez maiores e as exigências também são maiores”, referiu Carlos Faria e Maia.

O ponto alto das festas do Santo Cristo é a procissão de domingo, que se realiza desde 1700 no quinto domingo depois da Páscoa, percorrendo as ruas da cidade de Ponta Delgada.

Na madrugada de domingo, a imagem do Senhor Santo Cristo sai da Igreja do Santuário para a Igreja de S. José, um espaço maior que permite receber os milhares de peregrinos em vigília.

O programa integra também na manhã de domingo a celebração eucarística no adro do santuário, com a presença da imagem.

Na tarde de sábado, os peregrinos incorporam-se também na procissão da Mudança da Imagem do Santo Cristo, do Coro Baixo do Convento da Esperança para a igreja anexa, cumprindo um trajeto à volta do Campo de São Francisco.

Antes, na madrugada de manhã de sábado, os peregrinos percorrem descalços e, muitos, de joelhos o Campo de São Francisco, no cumprimento de promessas ao Senhor Santo Cristo dos Milagres.