Pub

“O início das obras é uma boa notícia para a cidade, para os residentes e os munícipes que ali circulam diariamente, não só porque reduz o risco associado ao seu estado de degradação mas também porque, uma vez concluídas, vão devolver a dignidade à zona e a uma construção com características arquitetónicas únicas”, afirma Pedro Furtado.

O Vice-Presidente da autarquia, com o pelouro das Obras Municipais e Particulares, explica que “face ao risco que representava aquele imóvel para a segurança dos moradores e peões, a autarquia manteve um acompanhamento muito próximo, através, por exemplo, de vistorias técnicas ao local”.

O projeto de arquitetura aprovado pela Câmara Municipal de Ponta Delgada prevê a demolição parcial dos interiores e manutenção de fachadas que confrontam com as vias públicas (Rua Dr. Guilherme Poças Falcão e Rua José Maria Raposo de Amaral), tendo em conta os seus elementos construtivos como o uso de pedra da Região.

O imóvel, propriedade privada em servidão administrativa – Zona de Proteção a Imóvel Classificado, com dois pisos e um espaço comercial no piso térreo, apresenta características únicas, enquadráveis no período inicial do século XVIII, período em que ocorre a ocupação e o crescimento da cidade de Ponta Delgada para norte.

Pub

O projeto de arquitetura foi apresentado na Câmara Municipal de Ponta Delgada a 27 de novembro de 2020, seguindo, após saneamento técnico e anexação de elementos em falta, para a ANAC e Direção Regional da Cultura (DRaC), a 14 de janeiro de 2021.

Por despacho de 11 de fevereiro, foram solicitadas retificações ao projeto de arquitetura inicial com base nos pareceres emitidos pela DraC e pela Divisão de Gestão Urbanística (DGUR) da autarquia, a que se seguiu, após nova consulta externa à DraC, a aprovação do projeto de arquitetura, a 8 de março.

Apresentados os projetos de especialidade, o projeto foi aprovado a 15 de abril.

Pub