Pub

A Câmara da Ribeira Grande vai manter o apoio anual (6 mil euros) que é atribuído a cada uma das oito filarmónicas do concelho, um investimento de 48 mil euros que se revela “fundamental para a sobrevivência das mesmas”, realçou Alexandre Gaudêncio.

O presidente da autarquia anunciou a manutenção do montante atribuído em 2020 no decorrer de uma reunião com a direção da filarmónica Aliança dos Prazeres, freguesia do Pico da Pedra, onde se fez acompanhar pelo vereador da Cultura, Filipe Jorge.

“A opção de manter o mesmo valor de apoio em comparação com o ano anterior é uma medida que pretende minimizar os impactos negativos provocados pela pandemia, pois as filarmónicas têm sofrido com os sucessivos cancelamentos das festividades locais que constituíam a sua principal fonte de receita”, acrescentou.

Alexandre Gaudêncio entende que esta “é uma forma de ajudar a combater a falta de liquidez com que as filarmónicas se deparam, assumindo a edilidade um papel relevante na preservação de uma tradição secular que reúne centenas de executantes, muitos deles jovens”, referiu.

Recorde-se que os apoios às filarmónicas passaram dos mil euros em 2013 para os 6 mil euros em 2020, aumento que “representa de forma inequívoca a importância que a edilidade vê nas mesmas”, vincou Alexandre Gaudêncio.

O edil deixou também uma mensagem de “esperança no futuro” e valorizou o papel das filarmónicas na sociedade. “São verdadeiras escolas de valores e de ensino musical, guardiãs de uma tradição secular que, com maiores ou menores dificuldades, têm conseguido resistir à evolução dos tempos.”