Bruno Lage quer Benfica “preparado para tudo” frente ao Zenit

O treinador do Benfica, Bruno Lage, exigiu hoje inteligência e equilíbrio à equipa para vencer esta terça-feira o Zenit de São Petersburgo, na sexta e última jornada do grupo G da Liga dos Campeões em futebol.

“A equipa tem de estar preparada para tudo. O Zenit é uma equipa sólida a defender e temos de ter capacidade de atrair e criar espaços. A equipa tem de manter sempre o equilíbrio e não ficar desatenta na vigilância aos homens da frente”, alertou o técnico dos ‘encarnados’, que precisam de vencer os russos com, pelo menos, dois golos de vantagem para garantir a passagem para a Liga Europa,

Em declarações prestadas em conferência de imprensa, realizada no Estádio da Luz, o treinador português, de 43 anos, vincou que, apesar de consumado o afastamento da ‘Champions’, os jogadores devem ser consistentes ao longo de todo o encontro e trabalhar para recuperar a dimensão internacional do passado do clube.

“O Benfica foi grande e tem de voltar a ser grande em termos internacionais. Os jogadores que aqui entram têm de perceber a grandeza do Benfica. O nosso maior adversário é estarmos muito preocupados com as consequências das nossas ações, isso leva-nos ao medo. Temos de deixar de parte o passado carregado de emoções e sentimentos negativos”, vincou.

Confrontado uma vez mais com as escolhas feitas ao longo desta competição, Bruno Lage reiterou confiar ter feito as melhores opções “a cada momento”, questionando a ideia de “onze base” e lembrando a indisponibilidade física de várias unidades em diferentes momentos da época, com os exemplos de André Almeida e Rafa.

“Qual é o onze base? O que venceu o Sporting na Supertaça ou o que venceu no Bessa? Se olharmos para um e para o outro faltam cinco jogadores. […] O onze é o onze a cada momento: há a estratégia, a recuperação dos jogadores, os problemas que os jogadores podem ter”, sustentou.

Sobre o Zenit – que segue isolado no comando do campeonato russo, com mais 10 pontos do que o segundo classificado, o Krasnodar, e acalenta ainda esperanças de seguir em frente na Liga dos Campeões -, o treinador do Benfica teceu elogios ao conjunto de Sergei Semak.

“Tem uma saída de bola e uma dinâmica muito interessantes com os quatro homens da frente. O Dzyuba é uma grande referência na bola aérea e, por vezes, procura os nossos laterais para fugir ao confronto com os centrais, somando ainda muita gente a atacar a profundidade. Têm transições ofensivas muito rápidas e são uma equipa muito experiente”, analisou.

Em destaque na equipa do Benfica está o avançado brasileiro Carlos Vinicius, com 13 golos em 18 jogos efetuados esta época. Desafiado a avaliar a evolução do jogador de 24 anos, que começou fora das opções habituais e é agora a referência ofensiva, Lage assegurou que o mais importante é dar “tranquilidade” aos avançados.

“A primeira coisa que digo aos avançados é para começarem a ver o Canal Panda. É meio caminho andado para estarem sempre tranquilos”, afirmou, acrescentando: “Cobra-se muito aos avançados. Se a equipa vence e o avançado não marca, parece que não tem o mesmo sabor. É o jogador que menos vezes toca na bola e faz com que uma jogada normal se torne numa bonita jogada.”

O encontro da sexta jornada do grupo G da Liga dos Campeões entre o Benfica, quarto classificado, com quatro pontos, e o Zenit, segundo, com sete, está marcado para esta terça-feira, às 20:00, no Estádio da Luz.

Pizzi admite falta de “mentalidade” do Benfica nesta Liga dos Campeões

O médio do Benfica Pizzi reconheceu hoje que faltou mentalidade à equipa na participação nesta Liga dos Campeões em futebol, cujo jogo de terça-feira com o Zenit de São Petersburgo pode valer apenas a relegação para a Liga Europa.

Presente na conferência de antevisão do jogo com os russos, que ocupam o segundo lugar no grupo G e dependem apenas de si para seguirem em frente, o internacional português lamentou que os ‘encarnados’ não tenham sido capazes de mostrar a sua qualidade e reconheceu que faltou competitividade.

“Estou aqui há muitos anos e já passei por momentos em que fomos logo eliminados e até ser eliminado nos quartos de final. Julgo que faltou um pouco de mentalidade. Limitámo-nos a fazer as coisas normais e na Liga dos Campeões temos de nos soltar mais e mostrar mais a nossa qualidade, porque do outro lado estão grandes equipas. Teríamos de ser mais competitivos, infelizmente este ano voltámos a não ter a felicidade de passar”, disse.

Questionado sobre o facto de o Benfica precisar de vencer por dois ou mais golos o líder do campeonato russo para alimentar ainda a expectativa de continuidade nas provas europeias, Pizzi vincou que as contas do resultado final não devem influenciar a abordagem da equipa ao encontro.

“Isso não pode mexer com a abordagem. O objetivo em todos os jogos é entrar para vencer, sabemos que só uma vitória interessa e que no final pode haver muitas contas, mas o foco é vencer para dar a qualificação para a Liga Europa”, explicou.

O jogador ‘encarnado’ assumiu, no entanto, que a forma de encarar as duas provas é diferente: “A Liga dos Campeões é a maior competição a nível de clubes e qualquer jogador vai dizer que a maior motivação é jogar na Liga dos Campeões.”

O médio, de 30 anos, que já soma 15 golos nesta temporada e é um dos elementos mais preponderantes na equipa de Bruno Lage, nem sempre foi primeira opção na ‘Champions’, mas recusou deter um estatuto de “intocável” no plantel do Benfica.

“Todos os dias trabalho no máximo para merecer a confiança do ‘mister’. Aqui no Benfica não há intocáveis, temos um plantel de excelente qualidade e o nosso foco é trabalhar todos os dias, cada um no seu máximo, para merecer a confiança e estar no onze inicial”, sentenciou.

O encontro da sexta jornada do grupo G da Liga dos Campeões entre o Benfica, quarto classificado, com quatro pontos, e o Zenit, segundo, com sete, está marcado para esta terça-feira, às 20:00, no Estádio da Luz.

Zenit quer vencer Benfica para agarrar um lugar nos ‘oitavos’ da ‘Champions’

O treinador do Zenit de São Petersburgo, Sergei Semak, afirmou hoje que quer marcar presença nos oitavos de final da Liga dos Campeões de futebol, motivo pelo qual se quer superiorizar, esta terça-feira, ao Benfica.

Sergei Semak, que falava em conferência de imprensa de antevisão do encontro da sexta jornada do grupo G da Liga dos Campeões, disse não recear o Benfica, apesar do palmarés que possui em Portugal e na Europa.

“Não receamos o Benfica. Respeitamo-lo. É uma das equipas com mais títulos em Portugal e na Europa. Sabemos como jogam bem em casa. Na Rússia, fizeram um jogo interessante. Vamos tentar fazer um bom resultado”, começou por dizer.

Diante dos ‘encarnados’, os russos não poderão contar com o defesa Yuri Zhirkov, que se encontra lesionado, mas, ainda assim, o treinador garante que em campo vão estar os melhores jogadores.

Apesar de ocupar o segundo lugar do grupo, o Zenit sabe que em caso de derrota, por dois ou mais golos de diferença, pode ficar de fora não só da ‘Champions’ como também da Liga Europa, uma situação que Sergei Semak não quis antecipar, até porque considera que os alemães do Leipzig tudo farão para vencer os franceses do Lyon e assim consolidar o primeiro lugar.

“O nosso resultado é mais importante do que o que se vai passar no outro campo. Vamos tentar vencer para seguir em frente. Vamos ver como vai terminar o grupo. Para as nossas equipas [para o ‘ranking’ da Rússia na UEFA], continuar na Liga dos Campeões é algo muito importante. Queremos mostrar o nível da nossa equipa”, rematou.

Mais focado nas características do jogo, o defesa Douglas Santos alertou para a qualidade ofensiva do Benfica.

“Não temos um jogador específico a ter em conta. Sabemos que os três jogadores da frente são muito importantes para o Benfica. Estamos a pensar fazer um bom jogo e vamos apostar no ataque. Esperamos vencer. O Benfica joga em casa, com o apoio dos adeptos, mas nós temos feito bons jogos. Temos de ter paciência para fazer um bom resultado”, considerou.

Depois de, na época passada, ter representado os alemães do Hamburgo, Douglas Santos diz estar a concretizar um sonho ao jogar na Liga dos Campeões e que, por isso, tudo fará para o continuar a viver.

O Benfica, quarto e último classificado do grupo G da Liga dos campeões, com quatro pontos, recebe esta terça-feira, às 20:00, no Estádio da Luz, o Zenit, segundo com sete, em igualdade com o Lyon, em jogo da sexta jornada que será arbitrado pelo espanhol António Mateu Lahoz.