Pub

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, e o Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, mantiveram uma conversa hoje na qual ambos concordaram sobre a necessidade de um “cessar-fogo urgente” na Ucrânia, conforme relatado por Downing Street.

O gabinete do Primeiro-ministro britânico informou que ambos concordaram que “a paz deve prevalecer” na Ucrânia, conforme descrito após a ligação por um porta-voz do escritório oficial de Johnson.

Johnson disse a Bolsonaro que a invasão ordenada pelo Presidente russo, Vladimir Putin, a Ucrânia não pode ser bem-sucedida, enfatizando que “civis inocentes estão sendo mortos e cidades estão sendo destruídas.”

“O Brasil foi um aliado vital na Segunda Guerra Mundial, e sua voz mais uma vez foi crucial neste momento de crise”, disse Johnson ao Presidente brasileiro.

“Juntos, o Reino Unido e o Brasil devem pedir o fim da violência”, acrescentou o primeiro-ministro britânico, segundo seu porta-voz oficial.

Por fim, os dois líderes concordaram com a importância da estabilidade global, enquanto Johnson sublinhou sua disposição de colaborar estreitamente com Bolsonaro em questões como segurança e comércio.

A Rússia lançou na madrugada de 24 de fevereiro uma ofensiva militar com três frentes na Ucrânia, com forças terrestres e bombardeamentos em várias cidades. As autoridades de Kiev contabilizaram, até ao momento, mais de 2.000 civis mortos, incluindo crianças, e, segundo a ONU, os ataques já provocaram mais de um milhão de refugiados na Polónia, Hungria, Moldova e Roménia, entre outros países.

O Presidente russo, Vladimir Putin, justificou a “operação militar especial” na Ucrânia com a necessidade de desmilitarizar o país vizinho, afirmando ser a única maneira de a Rússia se defender e garantindo que a ofensiva durará o tempo necessário.

O ataque foi condenado pela generalidade da comunidade internacional, e a União Europeia e os Estados Unidos, entre outros, responderam com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas para isolar ainda mais Moscovo.

Pub