Bolieiro enaltece papel pedagógico e formativo da Marinha

O Presidente da Câmara Municipal de Ponta Delgada enalteceu o papel pedagógico e formativo do Comando da Zona Marítima dos Açores.

José Manuel Bolieiro, que presidiu ontem à inauguração da exposição “Comandante Carvalho Araújo, A Vida pela Pátria (1881-1918)” no Centro Natália Correia, afirmou que o Comando da Zona Marítima dos Açores tem tornado possível um conjunto de “atividades sucessivas numa valorização do seu papel pedagógico e formador, para além do cumprimento de missão da Marinha, junto da população, fundamental para o conhecimento da nossa história e geografia”.

Contributos para o resgate da memória que “expressam a gratidão pela obra e pelos feitos de quem nos antecedeu e apresentam-se como uma bela oportunidade de conhecer e reconhecer a nossa História, valorizando factos, acontecimentos e personalidades que enalteceram a nossa identidade enquanto povo”.

O edil pontadelgadense frisou que a exposição inaugurada e patente em simultâneo no Centro Natália Correia em Ponta Delgada e no Museu da Marinha em Lisboa é uma forma de “expressar gratidão por quem deu a vida pelos outros”, o Comandante Carvalho de Araújo, que tomou uma opção que “muitos poucos tomariam, num ato heroico”.

O Comandante da Zona Marítima dos Açores, na ocasião e perante um auditório repleto, agradeceu a disponibilidade e cooperação da Câmara Municipal de Ponta Delgada, na pessoa de José Manuel Bolieiro.

O Comodoro Valentim José Pires Antunes Rodrigues afirmou que a mostra “honra a memória de quem deu a vida pelos açorianos, num ato de generosidade imensa”.

A exposição “Comandante Carvalho Araújo – A Vida pela Pátria (1881- 1918)” vai estar patente na Sala de Exposição do Centro Natália Correia até ao final do ano.

Resulta de uma parceria entre a Câmara Municipal de Ponta Delgada e a Zona Marítima dos Açores e conta com um total de 10 painéis subordinados aos temas: “Carvalho Araújo – Vida Pessoal”, “Carvalho Araújo – Vida Militar”, “Carvalho Araújo – Vida Política”, “Carvalho Araújo e o Jornalismo” e “O Combate”.