PUB

O presidente do Governo dos Açores sublinhou hoje que o antigo ministro da República para os Açores Sampaio da Nóvoa “é uma referência cívica e política” que “será sempre recordada com carinho pelos açorianos”.

“Foi com enorme pesar que recebemos a triste notícia do falecimento do senhor Juiz Alberto Sampaio da Nóvoa”, refere José Manuel Bolieiro, numa nota enviada às redações.

O chefe do executivo açoriano assinala que Alberto Sampaio da Nóvoa, que faleceu aos 95 anos, “será recordado pelos açorianos pela forma tranquila e pedagógica como exerceu as funções de Ministro da República para a Região Autónoma dos Açores”, de 1997 a 2003.

PUB

“Tivemos a oportunidade de conviver com o senhor Juiz Alberto Sampaio da Nóvoa, na nossa qualidade de Deputado à Assembleia Legislativa, e ele de Ministro da República, e queda-nos na memória o homem afável, de bom trato, cordial no relacionamento e pronto a escutar, com equilíbrio e sensatez, o ponto de vista dos diversos protagonistas do processo político que se vivia, na altura, nos Açores”, sublinha ainda.

José Manuel Bolieiro frisa que Sampaio da Nóvoa “é uma referência cívica e política que será sempre recordada com carinho pelos açorianos”.

“O Governo Regional dos Açores endereça as sentidas condolências à sua família”, lê-se ainda na nota divulgada.

O antigo ministro da República para os Açores Alberto Sampaio da Nóvoa morreu aos 95 anos, estando previsto o funeral para 02 de janeiro, em Oeiras, distrito de Lisboa, disse hoje à agência Lusa fonte familiar.

Foi ajudante do Procurador-Geral da República, em Lisboa, desde 1963, e participou na instalação da Provedoria de Justiça, onde foi coordenador, a partir de 1976. Em 1978, foi nomeado juiz conselheiro do Supremo Tribunal Administrativo.

Em 1993, Alberto Sampaio da Nóvoa foi escolhido vice-presidente do Supremo Tribunal Administrativo, sendo eleito no mesmo ano presidente do tribunal, funções que desempenhou até à sua jubilação, em 1997.

De 1997 a 2003 foi ministro da República para os Açores e, sobre essa experiência política, publicou um livro, “Açores, uma íntima ligação”, em 2020.

O velório de Alberto Sampaio da Nóvoa será na Igreja Paroquial de Santo António, em Nova Oeiras, no domingo, e o funeral é às 11:00 na segunda-feira, no crematório de Barcarena.

Pub