PSD/Açores defende medidas excecionais e universais para alunos

O líder do PSD/Açores defendeu hoje a adoção de medidas adicionais e universais para os alunos, visando garantir o seu direito à educação, numa altura em que o ano letivo foi interrompido devido à pandemia da codiv-19.

De acordo com José Manuel Bolieiro, citado em nota de imprensa, a situação “exige resposta imediata, com medidas excecionais, para garantir o direito à educação das crianças e jovens nos Açores”.

Para o dirigente social-democrata, as necessárias adaptações “têm de ser feitas, com urgência, com vista ao acompanhamento de alunos” e “não podem pôr de parte, nem por um momento, os princípios base da democraticidade do ensino a nível regional”.

No seu entender, “o acesso aos meios tecnológicos que venham a ser adotados deve ser universal, sob pena de se gerar uma maior discriminação educacional e social”, e deve-se ter em consideração que “nem todos os alunos dispõem nas suas casas de computadores com acesso à Internet”.

Acresce que, “em muitos lares, os recursos disponíveis têm de ser partilhados pelos filhos, que se encontram a estudar, e pelos pais, que se encontram em teletrabalho, o que condiciona as tarefas de todos”.

José Manuel Bolieiro alertou ainda para a necessidade de “ter em consideração as dificuldades percecionadas pelos docentes, em especial os deslocados, que não dispõem de equipamento ou comunicações adequados nas casas que arrendaram”, e para “desadequação da utilização de ‘smartphones‘ para um uso sistemático”.

O PSD defende a realização de um “levantamento exaustivo, e não meramente estimativo, como frequentemente sucedeu nos últimos dias”, dos meios tecnológicos de ‘hardware’ e comunicações de que os alunos dispõem em casa e a sua adequação para um regime de trabalho pré-definido.

“As soluções tecnológicas que vierem a ser adotadas devem garantir a todos os utilizadores a universalidade e gratuitidade de acesso às mesmas, através de um ‘interface’ intuitivo que facilite a sua utilização e exploração em contexto familiar”, sugere.

José Manuel Bolieiro está convicto de que o final do ano letivo e o início e decurso do próximo “exigem medidas de ajustamento, que não podem ser deixadas ao livre arbítrio de cada ator do sistema educativo”.

“As linhas orientadoras estruturantes para enquadramento desta situação excecional tardam em ser pensadas e transmitidas às escolas. O PSD exige que o Governo Regional dos Açores defina uma matriz de trabalho bem estruturada e adequada para a situação atual, que reponha alguma consistência e linha de rumo ao sistema educativo regional”, afirmou.

Nesse sentido, o presidente do PSD/Açores considerou que a fixação do calendário escolar para o terceiro período é uma “tarefa imediata”, incluindo o “estabelecimento de uma data-limite para a retoma normal das aulas”.

A Autoridade de Saúde dos Açores anunciou no domingo ter detetado mais um caso positivo de covid-19 na região, elevando para 67 o número de infetados, e referiu que as ilhas de Santa Maria, Flores e Corvo se mantêm sem casos positivos.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 1,2 milhões de pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 68 mil.