Líder do PSD/Açores diz que é tempo de região substituir medo por confiança

O presidente do PSD/Açores defendeu hoje, dia de abertura de vários serviços em São Miguel, que a região deve “substituír medo por confiança” nesta fase de combate à covid-19, que passa por um maior desconfinamento.

“É tempo de substituir medo por confiança. Quero felicitar o esforço dos empresários e produtores regionais, que, através da sua cultura de coragem e confiança, contrariam um clima de incerteza. Garantindo todas as cautelas de proteção da saúde pública, os nossos empresários transmitem aos consumidores os sinais de confiança necessários para a inadiável retoma da vida económica e social dos Açores”, afirmou José Manuel Bolieiro, citado em nota de imprensa dos sociais-democratas açorianos.

O responsável político esteve hoje em diversos estabelecimentos de Ponta Delgada, cidade da qual foi presidente de câmara.

Para Bolieiro, é tempo de retomar, “não só com palavras, mas sim com atos, a vida social e económica dos Açores”.

E deixou um apelo: “É tempo de agarrar a oportunidade de valorizar o mercado regional”.

O social-democrata pediu ainda aos açorianos para não virarem as costas aos produtores, comerciantes, trabalhadores e empresas da região, “que asseguram, com o seu trabalho e dedicação, que nada de essencial” falte às pessoas.

Até ao momento, já foram detetados na região um total de 146 casos de infeção, verificando-se 113 recuperados, 16 óbitos e 17 casos positivos ativos para infeção pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, que causa a doença covid-19, destes, 15 em São Miguel, um na Graciosa e um no Pico.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou quase 330 mil mortos e infetou mais de 5,1 milhões de pessoas em 196 países e territórios.

Mais de 1,9 milhões de doentes foram considerados curados.

Em Portugal, morreram 1.289 pessoas das 30.200 confirmadas como infetadas, e há 7.590 casos recuperados, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.