Pub

Até agora, os passageiros com origem na Madeira e Açores estavam isentos de cumprir a quarentena de 10 dias exigida à maioria dos viajantes que chegam do estrangeiro, mas a partir das 04h00 (menos uma nos Açores) de sexta-feira deixam de estar na lista de destinos seguros.

“Os corredores de viagens com o Chile, Madeira e Açores serão encerrados. Qualquer pessoa que chegue desses países a partir das 04h00 de sexta-feira será legalmente obrigada a ficar em isolamento durante dez dias”, adiantou o Ministério dos Transportes britânico num comunicado.

Com menos de 12 horas de aviso, o Governo britânico anunciou esta quinta-feira a “decisão urgente” de proibir viagens para o Reino Unido de vários países da América do Sul, de Portugal e de Cabo Verde, para evitar a propagação de uma nova estirpe do SARS-CoV-2, o vírus que causa a Covid-19.

A partir das 04h00 de sexta-feira, os passageiros que estiveram ou transitaram pela Argentina, Brasil, Bolívia, Chile, Cabo Verde, Colômbia, Equador, Guiana Francesa, Guiana, Paraguai, Panamá, Portugal (incluindo Madeira e Açores), Peru, Suriname, Uruguai e Venezuela nos últimos 10 dias não serão autorizados a entrar no Reino Unido.

Cidadãos britânicos e irlandeses ou nacionais de países terceiros com direito de residência no Reino Unido, tal como emigrantes portugueses a viver no país, poderão entrar, mas serão obrigados ficar em quarentena durante 10 dias.

O Governo britânico vai também suspender as ligações aéreas com países daquela lista com voos diretos para Inglaterra, nomeadamente a Argentina, Brasil, Cabo Verde e Portugal, incluindo Madeira e Açores.

“A decisão de proibir viagens destes destinos é tomada na sequência da descoberta de uma nova estirpe do coronavírus identificada pela primeira vez no Brasil, que pode ter-se espalhado para países com fortes ligações de viagens ao Brasil”, justificou o Ministério dos Transportes.

Os camionistas que viajem a partir de Portugal estão isentos deste bloqueio para permitir a circulação de bens essenciais.

Pub