Pub

Os candidatos do Bloco de Esquerda à autarquia da Horta propõem que, durante uma semana da campanha SOS Cagarro, a freguesia das Angústias apague a iluminação pública desde as 23h às 6h da manhã, de modo a proteger esta espécie e a sensibilizar para a necessidade de conservação das aves marinhas.

A candidatura do Bloco à freguesia das Angústias propõe apagar as luzes da freguesia durante a semana mais crítica do período de saída dos cagarros juvenis dos ninhos para o primeiro voo oceânico, a quem o brilho das luzes artificiais frequentemente desorienta, levando por vezes à própria morte. A proposta, que é lançada após uma reunião com o Instituto de Ornitologia Marinha dos Açores – Associação Asas do Mar e que segue o exemplo dado pela ilha do Corvo, visa, além de proporcionar melhores condições de sobrevivência às aves marinhas juvenis, também sensibilizar para a importância e vulnerabilidade das aves marinhas nos Açores e para a necessidade de melhorar a eficiência energética da ilha.

Tomás Melo, candidato Junta de Freguesia das Angústias, pretende fazer acompanhar esta medida com ações de sensibilização sobre a importância das aves marinhas, a poluição luminosa e os cuidados a ter no controle das populações e comportamento de gatos e ratos, que podem ser predadores das aves marinhas.

Para Aurora Ribeiro, candidata à Câmara da Horta, medidas ativas de conservação ambiental e das espécies mais vulneráveis são essenciais e os órgãos autárquicos devem ser os primeiros a dar o exemplo. Também Mário Moniz, candidato à Assembleia Municipal da Horta, e um dos cidadãos mais ativos na Campanha SOS Cagarro, tem demonstrado, há bastante tempo, uma sensibilidade especial para este problema e quer levar os assuntos ambientais e de conservação à discussão naquele órgão autárquico.

Pub

Pub